4 agosto, 2016
Por Katia Ouang

Produtinhos

 

Faz um tempão que não testo uns produtinhos e conto para vocês não?

Percebi que a bandeja do banheiro das meninas está cheia de produtos de marcas diferentes,  então aproveitei e fotografei para colocar minha opinião antes que terminem e eu não compre mais. E como saimos da fase “baby”, agora as necessidades são diferentes e os produtos também!

Não ando muito fiel a nenhuma marca especifica , continuo “a louca” das farmácias, que gosta de comprar as novidades e testar.

Então vou contar um pouco desses itens que separei hoje!

Leia Mais…

Comentários 2

1

19 maio, 2016
Por Katia Ouang

Galaxy

 

Outro dia percebi que após todos esses anos de blog, nunca falei sobre o consumismo infantil. Acho que nunca havia pensado sobre esse tema, mesmo porque não vejo como um problema aqui em casa e tento educar as meninas para que tenham bom senso e noção em relação ao que podem e ao que não podem ter.

Ate que um dia recebi um comentário de uma leitora no Instagram que me incomodou um pouco, e quando pega no meu calo, me inspiro muito para escrever. Leia Mais…

Comentários 7

13

4 janeiro, 2016
Por Katia Ouang

E finalmente estou de volta!

Depois de uma mini férias dos posts, estou aqui cheia de assunto para falar.

Foram quase 2 meses sem escrever, algo que nunca havia acontecido e confesso que por algumas vezes me questionei se voltaria ou se encerraria de vez o blog mantendo apenas as redes sociais. Escrever tem que ter concentração, tem que ter inspiração. E eu simplesmente não estava mais afim. Desanimei com algo que sempre fiz com o maior carinho e sinceridade.

E desanimei pois vi o quanto perdi a liberdade de escrever.

Para ser mais especifica, vou contar um pouco sobre como esse mundo dos blogs mudou.

De pouco tempo para cá surgiram muitos e muitos blogs, a maioria interessada em conseguir algum dinheiro por esse meio. Já não se sabe mais quem escreve por amor ou por dinheiro. Já não se tem mais credibilidade nos produtos falados pois sempre há uma desconfiança que a blogueira foi paga para isso. E se ela sinalizar que foi um post pago, prepare-se para receber as pedradas. Se não sinalizar, é porque não trabalha honestamente.

E a real é que nunca pensei assim. Sempre falei sobre o que eu queria, sendo paga ou não para isso. Quanta propaganda e recomendação gratuita fiz de algum produto que eu usasse nas meninas e que realmente gostasse?! Aí vem a opinião dos profissionais no assunto que dizem; “ Você tem noção da publicidade  gratuita que fez para essa fralda sem ganhar um tostão?” “ Temos que valorizar o mundo dos blogs e se caso alguma marca queira publicidade, que pague para isso”

Então realmente fica dificil escrever dessa maneira. Só quem está no meio há algum tempo sabe que não é tão simples você ganhar dinheiro com isso, e o que faz as marcas virem até você é a credibilidade que tem com os seus leitores.

Porém decidi que vou manter a linha que sempre segui; de falar o que eu quero, bem ou mal, e apenas aceitar como parceiros marcas que eu aprove e que possa recomendar. Do mesmo modo que sempre sinalizarei quando for paga para isso.

Somado a essa polêmica dos posts duvidosos, veio a disputa interminável por números altos de seguidores. Seja no instagram ou no facebook, onde até comprar curtidas e pessoas é possivel hoje com vários aplicativos gratuitos.

Fui questionada diversas vezes sobre : ” Como você está a tanto tempo nesse mercado e tem pouco mais de 10 mil seguidores”? !

Oi?! 10 mil pessoas, é muita coisa! Eu não estou nem aí para isso. E sou daquelas que tem vergonha alheia de quem inventa sorteios pelo instagram e pede para marcar 3 amigas e seguir outros instas.

Disputas que só ocorriam entre o mundo das blogueiras de moda, passou a acontecer por todos os lados. E além dos números, virou uma atração a parte ver qual mãe  teve o parto mais corajoso ( coitadas das que fizeram cesárea), qual mãe amamenta em público e mostra a foto no insta, qual mãe não dá chupeta para os filhos e apenas bisnaguinha integral, além das polêmicas sobre produtos como shampoo Johnson´s que estão há decadas no mercado mas que podem ter um componente cancerígeno….

Ai que preguiça eu tenho disso…

Quero que me siga acima de tudo quem goste, quem participe ,  e quem respeite que atrás de cada pessoa tem uma história diferente.

E o melhor desse número “baixo” de seguidores é que raramente recebo alguma crítica que magoe, algum comentário desnecessário ou alguma agressividade gratuita.

Agora estou bem resolvida. Mas passei uns dias de questionamento se eu deveria entrar nessa disputa e corrida pelos números ou continuar com a minha linha de trabalho.

Mas passou….  mesmo com todas as mudanças desse mercado, pretendo manter a minha conduta em relação ao blog e não mudar em absolutamente nada sobre o que eu penso e falo.

A única coisa que senti realmente vontade de mudar, é o mix de assuntos.

2015 foi um ano dificil para mim, mas com muito aprendizado, muitas mudanças, e uma vontade louca de contar para vocês não apenas a minha experiencia com mãe, mas também como uma mulher que teve que se virar nos 30 para se adaptar a nova vida depois da separação. Com novas amizades, com nova rotina, com o desejo de se cuidar e estar bem, como sócia de uma marca que cresceu bastante… enfim.

A partir de hoje nada muda, apenas cresce! Vou falar sobre muitas coisas alem da maternidade , tudo que me der vontade e que eu considere que possa ser interessante. Das músicas que eu escuto até as marcas que consumo, de um congelado novo que descobri no supermercado, de uma liquidação imperdível e é claro, de todo o mundo materno que vocês sempre acompanharam.

Atualizar o layout também está nos meus planos para esse começo de ano, vamos ver quando vou conseguir criar algo bacana!

Obrigada de coração por me acompanharem há tantos anos e por todos os emails e mensagens carinhosas que recebo sempre!

Bem vindas de volta ao blog e vamos começar 2016 !

Feliz ano novo!

Beijos

*K*

 

 

Comentários 43

33

20 outubro, 2015
Por Katia Ouang

Captura de tela inteira 20102015 093259

Recebi do Hotel que passamos o feriado  essa foto linda com a Bruna e não pude deixar de fazer um post especial sobre esse momento.

Na verdade não apenas esse especificamente, mas todo e qualquer momento onde você consiga passar com um de seus filhos para poder  e compreende-lo melhor .

Momentos onde você não esteja com pressa, não esteja estressada e que possa de verdade transformar nos melhores minutos do dia do seu filho.  Não é exagero quando digo minutos, pois só quem tem mais de 1 filho sabe o quanto é difícil disponibilizar um tempo só para ele.

Eu mesma venho carregando essa culpa de não conseguir me dedicar mais a cada uma delas individualmente. Pois sempre estamos as 3 juntas.  É bem difícil eu passear, brincar ou conversar só com uma delas.

Percebi isso nesse dia em que fui passear de bicicleta com a Bruna e a Manu ficou com a minha mãe descansando no quarto. Passamos 2 horas juntas onde eu simplesmente conheci alguns lados da Bruna que não via há tempos. Principalmente por ela viver na disputa com a Manu pela minha atenção o tempo todo e nunca conseguir relaxar.

Nesse dia vi o quanto ela cresceu. Conversamos, demos risada, ela me beijou, abraçou e pediu um monte de vezes para que eu repetisse esse programa com ela. Como ela foi sentada na cadeirinha na minha frente, eu pude pedalar, conversar e abraçar muito.

Foi uma mistura de sentimentos em algo tão simples que não imaginamos o quanto é importante para a criança que tem irmãos. Me senti extremamente feliz naquele momento, mas culpada por não fazer isso mais vezes.

Foi um aprendizado para mim.

Não me cobro em tentar realizar esses momentos com frequência pois sei que isso é bem complicado no meu dia a dia. Pois é difícil sair com uma e deixar a outra. São poucos os dias onde isso é possível sem que haja culpa.

Mas vou pelo menos tentar me organizar para poder estar com cada uma delas e dedicar esse tempo para o que elas quiserem fazer. Nem que seja tomar um sorvete, dar um passeio no parque, ir ao supermercado. Só o fato delas poderem ter a mãe só para elas, torna o momento mais do que especial. Toda que criança que tem irmãos sonha com um momento onde ela seja o centro das atenções.

E fica a lembrança de um dia muito especial…

Vejam a carinha de feliz dela:

Captura de tela inteira 20102015 093315

 

 

Comentários 2

5

1 setembro, 2015
Por Katia Ouang

Pela primeira vez no blog decidi pedir ajuda de vocês. E é para uma mãe, como nós.

Ano passado eu estava no instagram de uma amiga minha , a Mariana, e me deparei com uma foto que me marcou muito. Era foto de uma grande amiga dela que vinha com a legenda: “ Gabi conhecendo a Flora pela primeira vez”.

A foto era essa:

Captura de tela inteira 27082015 221139

Gabi é a mãe, e Flora a recém nascida, prematura.

Desde esse dia me interessei em saber o que havia acontecido com elas. E é uma história que pedi para a Mari, minha amiga, relatar a vocês. Venho acompanhando de longe a evolução do caso. Até que a Mari postou em seu face que a família precisa de uma ajuda para poder dar um pouco de qualidade de vida a Gabi. E então achei que era hora de eu poder colaborar , já que felizmente tenho acesso a muitas mães e qualquer contribuição, faz toda diferença.

Saibam um pouco dessa história que até hoje me arrepia e me sensibiliza muito. O marido, um guerreiro, esta firme e forte ao lado da Gabi nessa batalha, cuidando da esposa e da filha com todo o amor do mundo.

Peço a todas minhas leitoras para que compartilhem e ajudem no que for possível.

Agradeço de coração.

Katia

Captura de tela inteira 27082015 221151 Captura de tela inteira 27082015 221005

 

A história da Gabi.

Conheci a Gabi na escola. Estudamos juntas no colégio e ficamos muito amigas. Ela era um amiga incrível! Sempre compreensiva, pronta para ajudar quem precisasse. Não tinha quem não gostasse dela! De verdade! Já sabia que seria psicóloga (e já treinava com as amigas, sempre ajudando e dando ótimos conselhos.)

Como psicóloga, sempre foi determinada e romântica. Nunca quis trabalhar em RH de empresas, por mais que o lado financeiro fosse mais atrativo (e olha que ela precisava, viu! Andava sempre dura…). Trabalhou na ala infantil do hospital do câncer (contava histórias de arrepiar), na Casa da Aids e na Associação dos Moradores de Rua de São Paulo. Sempre quis ajudar quem precisava. Trabalhava feito doida. Antes de toda essa historia que vou contar, ela atendia em uma clínica onde sua rotina era uma loucura! Uma vez vi a sua agenda de pacientes do dia e fiquei chocada! Era tanta gente!! Costumava perguntar como ela aguentava ouvir tantos problemas num dia só… Ao mesmo tempo, construía sua carreira como psicóloga de consultório, atendendo pacientes particulares. Ela amava ser psicóloga, apesar de toda dificuldade da profissão.

Captura de tela inteira 27082015 221128 Captura de tela inteira 27082015 221015 Captura de tela inteira 27082015 220839

Bom, continuamos muito amigas até hoje. Entretanto, a vida complicou um pouco as coisas para a Gabi…Quando ela estava grávida da primeira filha, vivendo um momento muito feliz depois de um período muito triste (a mãe dela tinha falecido há uns 6 meses, de câncer) os sintomas da doença começaram.

O começo foi uma dificuldade para ir ao banheiro. Ela fez um ultrassom de bexiga e quando levou ao Urologista, ela já estava sentindo uma fraqueza nas pernas. Quando o médico a viu caminhar com dificuldade, pediu que ela fosse direto ao hospital para fazer exames. Seguindo a recomendação do médico, ela saiu do consultório e foi direto ao hospital e acabou sendo internada no mesmo dia. Era setembro de 2013. Lá reviraram a Gabi do avesso, mas os médicos não conseguiam diagnosticar o problema e a doença piorava a cada dia. As pernas paralisaram, depois os braços, as mãos, o tronco, a visão foi ficando escura até apagar totalmente. A dificuldade para deglutição era grande, então foi introduzido um tubo no estômago para que a alimentação fosse efetuada sem que houvesse o risco dela aspirar o alimento. Todo este tempo, a Flora crescia dentro da barriga dela. Neste momento, ela já respirava com muita dificuldade, então foi decidido que seria necessário uma cirurgia para fazer a traqueostomia.

No dia 04 de novembro ela foi para uma cirurgia na qual o parto foi realizado. Flora nasceu com 26 semanas e foi direto para a UTI Neonatal, onde permaneceu por 3 meses. A Traqueostomia foi realizada e a Gabriela foi internada na UTI. Foi um período muito dificil. Aos pouco a respiração dela foi melhorando e ela pode sair da UTI e voltar para o quarto.

Neste ponto, a doença estacionou, pois até então avançava a cada dia. Foi terrível, não havia diagnostico, nenhum tratamento proposto pelos médicos conseguia fazer a doença parar. Após quase 3 meses do nascimento da Flora, as duas puderam se conhecer. A Flora foi conhecer a mãe no quarto do hospital. Já não era possível enxergar, pegar ou tocar na filha, pois seus movimentos já estavam limitados à poucas manobras com a mão direita, e a visão totalmente apagada.

Captura de tela inteira 27082015 221033 Captura de tela inteira 27082015 221139

Flora recebeu alta e foi para a casa da Tia da Gabi, que deu todo apoio e amor para a pequena, mas a Gabi continuou no hospital. Houve uma alta, após muita burocracia do plano de saúde para liberar o home care (ela precisa de cuidados 24 horas por dia), mas ela teve que retornar ao hospital depois de poucos dias na casa de seus tios.

A alta definitiva ocorreu após aproximadamente um ano de internação no hospital (por volta de setembro de 2014), quando ela foi para sua casinha, junto com seu marido, o Edu, que é um marido exemplar e cuida da Gabi com muito carinho. A Flora ainda demorou algumas semanas para juntar-se a seus pais na sua casa.

Até hoje a situação é a mesma, nada melhorou. Na verdade, como já informado outras vezes, a situação tem piorado cada dia, pois o estado psicológico é péssimo, ela está afundada em uma depressão da qual estamos tentando tirá-la com auxilio de médicos, terapeutas e remédios. O estado físico também se deteriorou bastante, pois a depressão faz com que ela não tenha vontade de fazer as fisioterapias, que são essenciais para, pelo menos, manter seu estado físico (muscular). Está cada vez mais difícil entender sua fala. A alimentação continua sendo efetuado via gastrotomia.

Captura de tela inteira 27082015 221118 Captura de tela inteira 27082015 221104 Captura de tela inteira 27082015 221053

Com a ajuda de um grupo de amigos, a Gabi começou um tratamento mais intensivo na Fundação Selma na semana passada. O tratamento psicológico está surtindo algum efeito, pois ela tem se mostrado mais animada para a fisioterapia.

A Flora, está ótima, maravilhosa, cada dia mais linda. Entretanto, também luta diariamente na fisioterapia para se livrar das consequência de uma paralisia cerebral, decorrente de uma convulsão que teve com poucos dias de vida na UTI Neonatal. Os médicos estão muito otimistas, acreditam que ela terá uma ótima recuperação. Outro obstáculo para a Flora, foi um problema cardíaco que a levou a uma cirurgia cardíaca com 1 mês e meio de vida. Ainda é possível que ela seja submetida a outras cirurgias no futuro para corrigir definitivamente este problema.

Captura de tela inteira 27082015 221110 Captura de tela inteira 27082015 221040

Os tios (os pais da Gabi já faleceram) ajudam muito, assim como o resto da família e amigos próximos, mas as despesas são muitas, tanto para a Gabi, quanto para a Flora, por esta razão iniciamos esta campanha para arrecadar fundos para comprar um carro adaptado para que nossa amiga possa ser transportada de forma adequada e segura para a fisioterapia, para os médicos e também para casa dos amigos (ela precisa de um pouco de distração, algo que a tire da escuridão).

Já conseguimos quase R$ 35.000,00 com a doação de pessoas maravilhosas que se sensibilizaram com esta historia tão difícil. Precisamos, ainda, de R$ 20.000,00 (o valor do carro é cerca de R$ 55.000,00). Quem puder ajudar, agradecemos de coração! Obrigada!

A Gabi pediu que eu agradecesse a todos que ajudaram. Ela ficou muito feliz e sensibilizada com o apoio de tantas pessoas.

Lembramos que as doações devem ser efetuadas na conta abaixo e pedimos que os doadores enviem um e-mail para nossa a amiga Pri (titular da conta) – [email protected] – com nome, CPF e valor doado para que ela possa justificar para o Imposto de Renda a entrada do dinheiro como doação , e quem doar poderá fazer o mesmo.

Banco: Santander Agência: 0083 CC: 01055090-3 CPF: 268.008.198-67 Nome: Priscilla de Carvalho Monasterio Telles Ferreira

 

Comentários 39

16

7 agosto, 2015
Por Katia Ouang

_MG_2213

Já há algum tempo rolou um desafio entre instagrams de blogueiras para contar 5 coisas que as pessoas não sabem sobre nós. Percebi o quanto as leitoras adoraram esse desafio por conhecerem um lado diferente que não aparece tanto nos posts e nas fotos. Ainda mais no meu caso onde o foco do blog é minha vida com as meninas! Vocês conhecem bem a “Katia Mãe”, mas o meu dia a dia como mulher, acaba ficando de lado.

Por isso resolvi transformar esse desafio em um post ainda mais completo. Então esporadicamente vou colocar 10 coisas rapidinhas sobre mim que com certeza vocês não sabem!

1) Tenho medo de algumas coisas, nada que seja mais forte do que eu. Mas 3 coisas eu não só detesto como tenho fobia, por ordem de grandeza:

caracol – Pode ser enorme ou aquele mini de jardim, com anteninha. Tenho total pavor, nojo e desprezo por esse ser gosmento. Me fazer comer um escargot seria o mesmo que a morte. As meninas se divertem com isso , ainda bem que elas não herdaram essa fobia!

Azeitona – Desde pequena não suporto azeitona. Se eu comer uma torta, empada ou qualquer coisa que tenha azeitona picada , consigo sentir o gosto em um micro pedaço e já estraga o meu dia. Pedir torta de frango em restaurante, só se o garçom me der certeza que não tem azeitona. O mais louco é que tolero bem azeite!

Palhaço – Sei que a fobia por palhaços é bem comum. Não gosto, não acho graça, não vem brincar comigo.

2) Detesto acordar cedo, mas não tenho escolha. Aquela história ” com o tempo você se acostuma” não rolou aqui. Ainda tenho duas filhas que madrugam. Nunca passam das 7hs, mesmo aos finais de semana. Então todo dia acordo sonhando com mais 5 minutinhos… Sou daquelas que coloca o “soneca” do despertador até os 45 do segundo tempo!

3) Fiz quase 15 anos de Ballet Clássico e nem sei quantos de  Natação.

4) Amo dirigir sozinha e amo dirigir em estrada.

5) Sou louca por uma comprinha on line! Em breve farei um post dos meus sites preferidos.

6) A cor que mais gosto de usar é azul marinho.

7) Sou viciada em Candy Crush e só durmo depois de uma “partidinha”.

8) Amo o Spotify. Se deixar passo o dia todo procurando músicas e fazendo playlists!

9) A hora que mais me dá vontade de comer chocolate é depois do jantar. Gosto de meio amargo e sempre como um pedacinho a noite. Ah, e tem que estar gelado, detesto chocolate mole!

10) Uma das coisas que as vezes desejo comer e que amo é Carpaccio! E com muito parmesão ralado em lascas! Sonhava em comer na gravidez mas foi das poucas coisas que meu médico proibiu. E apesar de amar carpaccio, detesto alcaparra, sempre peço para vir sem!

 

Semana que vem tem mais!

Um beijo grande e bom final de semana!

*K*

 

Comentários 4

7

10 maio, 2015
Por Katia Ouang

Para você mãe que:

Aprendeu a dormir poucas horas por noite e nunca mais soube o que é acordar tarde;
Chorou para aguentar a dificuldade de amamentar, e voltou a chorar para desmamar;

Desafiou todos os limites de sua paciência tentando fazer um filho dormir, comer ou te obedecer;

Aceitou conviver com banhos rápidos, unhas por fazer, cabelos presos…

A não usar mais perfume e brincos grandes;

Trocou todos os seus sapatos de salto por sapatilhas, trocou todos os seus jeans por leggings ou calças de moleton, e trocou todos os seus livros de cabeceira por um Nana Nene ou Encantadora de Bebês;
Aprendeu a cantar todas as cantigas de roda, a dançar em público, a se fantasiar , a idolatrar a Galinha Pintadinha e achar que qualquer festa infantil é o melhor programa da semana;
Comeu a verdura que sempre detestou na frente do seu filho só para mostrar o quanto pode ser deliciosa;Entrou em crise por não saber se voltava ou não a trabalhar fora;
Chorou e se emocionou ao primeiro sorriso do seu filho, ao primeiro dente que nasceu, ao primeiro dia que ficou sentado, ao primeiro sinal de balbuciar mamã e papa, ao primeiro bracinho estendido pedindo colo, e ao primeiro passo que deu sozinho;
Sofreu em todas as vacinas, na primeira febre, na primeira assadura, na primeira ida ao PS, no primeiro machucado, na adaptação na escola…E passou a respeitar, entender e admirar ainda mais a sua mãe.Isso é a verdadeira Vida de Mãe que tanto me inspira para cada post que escrevo aqui.
E ser mãe é muito mais do que isso…
É aprender a não ser egoísta, ter paciência, e entender que sempre terá alguém antes de você,
É conviver com uma mistura de sentimentos diariamente,
É aprender a dar um passo de cada vez, a celebrar cada pequena conquista,
É evoluir, dividir, crescer
E o melhor de tudo;
É receber o mais puro e verdadeiro amor sem ter que pedir nada.
E esse é  o presente para cada uma de nós que vivemos diariamente a loucura de ser Mãe.
A todas vocês que são mais do que queridas,
que me acompanham,
que me escrevem,
que torcem por mim e pelas minhas filhas, que riem e que choram comigo,
Desejo que tenham um domingo mais do que especial e maravilhoso ao lado dos seus pequenos.
Pequenos esses que nos dão tanto trabalho, mas que enchem nossa vida de alegria e esperança, e que a cada sorriso fazem nosso coração explodir de felicidade.
FELIZ DIA DAS MÃES!
*K*
 US

 

1 Comentário

10

25 março, 2015
Por Katia Ouang

Quem acompanha o blog sabe que já falei algumas vezes sobre Home Office e como é para uma mãe trabalhar de casa.

Vivo recebendo perguntas de como dou conta de tudo e como faço para organizar o meu dia. Então hoje vou falar um pouco sobre isso.

Apesar do Home Office ser cada vez mais comum e uma excelente alternativa para a mulher depois que vira mãe, confesso que esses anos foram mais que um desafio para mim. Pois escritório existe para ser um local de trabalho. E nossa casa definitivamente não é. A não ser que você tenha o privilégio de ter um local isolado com portas onde possa simplesmente virar uma chave, e se fechar lá dentro. E como está bem longe de ser o meu caso, já que meu ambiente de trabalho se resume a uma mesa equipada na sala, enfrentei os desafios de uma mãe empenhada em ter o próprio negócio.

Acho que dentro desses anos consegui alcançar um certo sucesso dentro do que me propus a fazer. Seja com o blog, que graças a Deus foi se estruturando e crescendo e hoje é um trabalho como qualquer outro, seja com a minha marca de papelaria Paper K, que também está crescendo e ganhando mercado.

Há 2 meses quando a Manu começou na escolinha eu passei a viver uma outra rotina onde consegui finalmente ter 4 horas do meu dia de trabalho intenso, sem barulhos, tv ligada, criança gritando ou interrupções. O que foi muito positivo para mim pois não imaginava o quanto essas horas se bem aproveitadas, pudessem render tanto trabalho.

Por isso consigo afirmar que é sim possível começar um negócio próprio no esquema home office, com filhos em casa e conseguir algum êxito. Basta se organizar e colocar metas. E não é porque agora tenho mais tempo disponível, que não preciso continuar a ter essas metas e tarefas organizadas.

Senti na pele como o tempo livre pode ser uma faca de 2 gumes. Nos primeiros dias fiquei até meio perdida e sem pressa para fazer as coisas, já que sabia que teria mais tempo. Porém quando vi que as manhãs passam muito rápido e que se eu não me organizasse para aproveitá-las corretamente acabaria por não render nada, decidi estabelecer algumas tarefas para cada período do meu dia e seguir a risca um cronograma.

Pela manhã  acordo um pouco antes das 7 para arruma-lás, colocar uniforme, dar café da manhã, fazer lancheira e mochila, e levar para duas escolas diferentes. Depois disso consigo ter umas 3 horas seguidas até ter que sair para buscá-las . Nessas 3 horas coloquei como prioridade e meta fazer tudo que preciso com silêncio e sem interrupções. Para o blog inclui; escrever e pensar textos, preparar propostas, responder aos e-mails de leitoras, fazer parcerias e telefonemas  ( telefone é algo que não existe fazer com elas em casa!). E para a Paper K, as manhãs são para atualizar as planilhas, enviar orçamentos e responder e-mails.

Na parte da tarde deixo as funções que posso fazer com barulho e interferências das meninas. E é praticamente funções de casa e o trabalho da Paper K, como desenhar ( consigo desenhar com tv ligada ou música sem problema), criar novas estampas, separar os pedidos, empacotar, fazer etiquetas de endereços, etc. E coloco nesse período funções de rua onde posso levar alguma das meninas, assim passamos um tempo juntas e para elas é uma diversão. Isso inclui ir ao supermercado, açougue, feira, correios, comprar material , pesquisar produtos para o blog e levar a Bruna na natação. Além disso ainda encaixo as reuniões externas que tenho praticamente toda semana, e que dou prioridade em marcar sempre depois do almoço que é o horário de menor trânsito.

A vantagem de ter as manhãs sozinha é que aos poucos estou conseguindo eliminar o trabalho que fazia a noite, depois que elas dormiam. Pois era nesse horário que eu conseguia ficar em silêncio. Meu objetivo agora é conseguir dormir mais cedo pois fico muito cansada o dia todo. E acho que dormindo mais, vou render mais.

Também  preciso organizar na minha rotina um horário para ginástica , algo que ainda não consegui fixar.

Quanto coisa uma mãe faz durante o dia não??

Mas aprendi que quanto mais fazemos , mais conseguimos dar conta. E acho que é essa a tendência da mulher, mãe, esposa e dona de casa atual. É possível sim fazer tudo, desde que o objetivo não seja ser perfeita em cada função. Temos que fazer da nossa maneira, dentro do nosso tempo, disposição e disponibilidade.

E assim vamos tocando o dia a dia sendo super mulheres, não acham!?

 

Comentários 2

5

29 dezembro, 2014
Por Katia Ouang

Queridas leitoras,

Desejo a todas um Feliz Ano Novo e que 2015 venha cheio de paz, amor , união e principalmente; muita sáude.

Porque no final é só isso que importa !

Nos próximos dias vou colocar no ar algumas retrospectivas dos melhores posts, e a partir do dia 5 estou de volta com muitos posts fresquinhos para vocês!

Mais uma vez obrigada por todo o carinho!

Um beijo enorme,

Katia

Deixe um Comentário

1

23 dezembro, 2014
Por Katia Ouang

Capturas de tela34

O Natal chegou, e esse ano estou com uma sensação muito boa, algo diferente e que eu nunca havia sentido como mãe.

Estou curtindo de verdade os preparativos. Pois é a primeira vez que as meninas estão de fato compreendendo, estão ansiosas e animadas com a chegada do Papai Noel. Claro que desde que nossos filhos são bebês que montamos a árvore, compramos presentes e contamos a história do Papai Noel. Só que esse ano elas montaram a árvore comigo, escolheram os enfeites, não derrubaram ou desmancharam nada depois….

Elas cresceram!

E eu fui comprando cada presente com antecedência, pensando em cada uma delas. Pois agora elas tem gosto e vontade própria. Não é mais o presente que eu escolhi por achar bacana e sim o presente que tenho certeza que elas irão gostar.

Desejo a todas vocês um Natal maravilhoso em família e que a magia do Papai Noel permaneça por muitos anos ! Pois tem algo mais gostoso que cultivar essa história e ver os olhinhos dos nossos filhos brilharem!?

Um beijo com muito carinho,

*K*

Deixe um Comentário

4