24 outubro, 2014
Por Katia Ouang

inalação

 

A asma e a bronquite são corriqueiras na vida de muitas crianças e por consequência na vida de muitas famílias.

Embora sejam parecidas, não são iguais. Ambas “tomam conta” do aparelho respiratório dos nossos filhos, mas possuem características muito distintas.

A bronquite é uma inflamação dos brônquios, que em sua maioria das vezes, é causada por uma infecção provocada por um vírus comum do período de inverno ou por substâncias irritantes das vias aéreas superiores (nariz, laringe, traquéia, brônquios).

O nariz fica “pingando”, a garganta pode ficar irritada, surge o cansaço, arrepios, dores nas costas e musculares, tosse e um chiado no peito (tipo miado de gato).

Já a asma é considerada mais preocupante, pois as vias aéreas se “apertam”, ou seja, fica mais difícil de “passar o ar” para dentro dos pulmões. Pode chegar até a uma obstrução, ou seja, uma interrupção do fluxo de ar para os pulmões. Atenção pode vir a se tornar um quadro grave!

Não é a toa que a palavra asma vem do grego e seu significado é “sufocante”.

Trata-se de uma doença crônica que não pode ser prevenida, nem curada.

No entanto, as crises podem ser evitadas, quando se identificam e se evitam os fatores desencadeantes, como agentes alergênicos (ácaros, penas, pelos de animais) ou irritantes (cigarro, fumaça).

O asmático apresenta tosse seca, sem secreção, falta de ar e uma respiração sibilante (com “barulho”).

Podemos dizer que a asma é uma doença que possui um componente hereditário e alérgico, gera medo nos pais e quando as crianças são maiores geralmente são acometidas desse medo também, pois a sensação de ter falta de ar é muito angustiante. Logo, o tratamento preventivo é a melhor opção.

Prevenção da asma:

- Isolar ao máximo o portador de asma dos ácaros, pelos de cães e gatos, bolores e dos fungos (mofo);

- Encapar travesseiros e colchões, pois estes alérgenos citados no item acima se acumulam no travesseiro, na cama (uma cama pode conter cerca de dois milhões de ácaros), no cobertor, na cortina, no carpete, em bichinhos de pelúcia e em qualquer lugar que acumule poeira;

- É PROIBIDO cortinas, bichinhos de pelúcia, mantas (use edredom), bichos de estimação e tudo que acumule pó, mofo, bolor ou solte pelos e penas;

- EVITAR usar aquecedores no inverno e ar condicionado no verão;

- EVITAR ficar perto de lareiras;

- PROIBIDO entrar em contato com fumaça de cigarro;

- EVITAR odores fortes (perfumes, produtos de limpeza, frituras, tinturas de cabelo das mamães);

- EVITAR comportamentos ansiosos que agravem as crises (notícia de uma viagem ou passeio pode gerar uma ansiedade boa ou notícias desagradáveis para a criança, como uma consulta médica, tomar uma vacina, etc);

- Mantenha o ambiente SEMPRE ventilado.

Tratamento

O tratamento da bronquite é mais tranquilo por ser mais rápido e de curto prazo. Já o da asma geralmente é a longo prazo e preventivo. Existe, hoje, uma gama imensa de medicamentos a serem utilizados e que SOMENTE com avaliação de um médico especialista e prescrição e acompanhamento do mesmo a eficácia estará garantida! Logo, não falaremos de nomes de medicamentos, ok?

Asma brônquica ou Bronquite asmática?

Nem um, nem outro…

Agora você já sabe o que é a bronquite e asma separadamente, às vezes acontece da criança desenvolver um quadro de bronquite e ser portadora de asma…daí o surgimento dos nomes!

Toda “doença” terminada em “ITE”, ou seja, otITE, laringITE, amigdalITE, bronquite, significa INFLAMAÇÂO em algum lugar.

ITE = INFLAMAÇÃO

Bronquite – inflação nos brônquios – terá sempre secreção, a tosse será “molhada”.

Asma – “estreitamento” das vias aéreas – apresentará falta de ar, a tosse será seca.

Não devemos “rotular” a criança portadora de asma e bronquite, pois ainda nos dias de hoje há um preconceito quando a essas doenças. Algumas pessoas acreditarem ser doenças incapacitantes.

Devemos sim, jogar fora os pré-conceitos e tratar a parte respiratória dos nossos filhos preventivamente, com assistência médica, esporte, alimentação saudável e colher bons frutos de tudo isso!

Pratique o ABC das doenças respiratórias: Amor, Bom humor e Carinho – Seu filho agradece!

fernanda-papa1

 

Deixe um Comentário

0

22 outubro, 2014
Por Katia Ouang

shame

Hoje vou listar para vocês as TOP 5 situações constrangedoras que as meninas fazem eu passar. Claro que tudo decorrente da sinceridade e inocência das criança mas que faz com que tenhamos vontade de cavar um buraco e desaparecer naquela hora!

Me inspirei no post de hoje quando fui deixar a Bruna na escola e quase morri de vergonha. Por isso vou colocar como a “top” situação essa que passo todos os dias:

- Cismar com alguém – Na escola os carros fazem uma fila e vem um funcionário buscar a criança no carro. Eles abrem a porta e pegam a criança na cadeirinha. Na escola da Bruna são 3 pessoas que fazem isso. E ela resolveu cismar com uma delas; um senhor que é um fofo, um amor de pessoa. Mas quando vem ele pegar no carro ela vira a cara e fala: Mamãe, eu não vou com esse tio feio, eu não gosto dele!  E ele tenta tirar o cinto ela grita e empurra a mão dele. Eu quase morro de vergonha. E pode estar a fila que for, ela não sai do carro. Meu alívio é quando eu chego e vejo que o tal “tio” esta pegando outra criança.

- Pegar doce  antes da hora - Seja a Bruna ou a Manuela, qualquer uma das duas quando resolve atacar a mesa de doces de uma festinha não tem quem segure. Eu tento mantê-las afastada da mesa até a hora do parabéns. Mas as vezes é uma bobeada para a criança pegar aquele doce estratégico que derruba todos os outros. O pior é quando pegam antes da hora, dão uma mordida e não querem mais.

- Fazer o numero 2 em público. Isso é para a Manuela que ainda usa fralda. Morro de vergonha quando estamos em algum lugar publico e a Manu para tudo que está fazendo, agacha e fica lá como se não tivesse ninguém ao redor. Aí fica todo mundo meio constrangido e tentando disfarçar. E isso sempre acontece naqueles lugares que não tem criança.

- Observar as pessoas no banheiro ou provador. Isso criança ama fazer não? Basta ter um banheiro público com uma fresta debaixo da porta para elas abaixarem e ficarem rindo da pessoa. O pior é em loja quando elas entram no provador de alguém na maior cara de pau e abrem a cortina. As minhas amam um provador, então é torcer para não ter ninguém dentro. Se não haja jogo de cintura para administrar o olhar de reprovação da “vitima” das meninas.

- Presente. Esse também é um dos campeões de vergonha! Dar um presente para uma delas e não dar para a outra é pedir para vir a pergunta; E o meu, não tem presente para mim? Aí a pessoa fica com aquela cara de paisagem, sem jeito e eu tentando disfarçar. O pior é quando elas abrem algum presente e não gostam ou ainda se gostam mais do presente da outra. Aí segura pois nenhuma das duas mede as palavras e ainda brigam pelo presente preferido na frente da pessoa que deu.

 

E vocês, o que seus filhos fazem que vocês morrem de vergonha?!

 

Comentários 5

9

20 outubro, 2014
Por Katia Ouang

IMG_0612 copy

Há tempos venho ensaiando como escrever esse post. Talvez porque não gostaria que ficasse muito longo ou mesmo porque não gostaria de passar uma idéia diferente do que a que realmente tenho vivido. É mais um daqueles “post-desabafo” que já me alivia só em saber que posso compartilhar com outras mães.

A minha realidade atual como mãe é de muita, muita frustração. Frustração pois não tenho obtido êxito algum na educação da Bruna. A cada dia que passa parece que dou 1 passo para frente e dezenas para trás. Educá-la tem sido disparado o maior maior desafio e a maior dificuldade desde que me tornei mãe.

A Bruna é uma criança muito intensa e que suga toda minha energia. Meus dias em casa são difíceis e na base de muita paciência.

Paciência essa que muitas vezes eu não tenho ou simplesmente, não consigo mais ter.

Todo o problema é o ciúmes exagerado que a Bruna sente da Manu,  e a insegurança em relação ao meu amor. Se estou eu e ela apenas, é um doce de criança. Se a Manu esta presente, simplesmente não há sossego. E as duas convivem praticamente o dia todo. Então os dias tem sido muito desgastantes para mim.

A Bruna tem o perfil da criança mimada e manhosa. E infelizmente não era esse o resultado que eu gostaria para toda educação que tenho tentado passar. Ela não relaxa, fica o tempo todo observando o que irmã faz, o que ela come, o que ela veste, quando eu abraço ou beijo ela. E para chamar atenção chora o tempo todo, fala igual bebê, se joga no chão, faz malcriação e não acata a uma ordem sequer.

Todas as tarefas diárias são um sacrifício por aqui. Dar comida para as duas juntas tem que ser no prato igual, quantidade igual, talheres iguais. Se o prato da Manu tiver mais batata que o dela, é porque eu gosto mais da Manu. Se eu coloco o laço rosa na Manu, a Bruna tira, coloca nela e ela escolhe outro para a Manu. Isso são exemplos bobos mas que se repetem o dia todo com tudo que entra na nossa rotina.

Além disso não consigo ir ao banheiro sem que ela venha como uma sombra e não desgrude do meu pé achando que eu vou sair, ir embora, deixar ela sozinha….

Conversar, colocar de castigo, punir, nada adianta. E como já disse, não sou da turma que dá uma “palmadinha” de vez em quando. Então para não bater nela eu muitas vezes grito e perco a paciência. O que me traz uma “ressaca moral” péssima depois.

E isso tudo só acontece na minha presença.

Já fui diversas vezes na escola conversar com a professora , com a coordenadora… e sempre tenho um feed back de uma criança doce, amiga, e que está bem longe de fazer malcriação.

Em casa é só eu sair que a minha funcionária diz que ela não dá um “piu” sequer. Ajuda, é carinhosa com a Manu, protege a Manu, cuida dela. Realiza as tarefas sem reclamar ou chorar e é uma simpatia só.

Quando fica apenas com o pai e a Manu idem.

O problema é realmente me dividir com a Manu.

Sou uma pessoa 100% aberta a ajuda de amigos, profissionais, livros ou qualquer recurso que possa me dar uma luz no final do túnel. Inclusive já contei aqui que até terapia cheguei a levar a Bruna há 1 ano atrás. Mas o que me dói mesmo é saber que esse comportamento dela é assim só comigo.

Será que não dei a segurança e atenção que ela gostaria?

Será que estou falhando em alguma coisa?

Será que posso mudar ou melhorar?

Tenho sofrido bastante com isso. Pois não quero de maneira alguma que a Bruna cresça se sentindo infeliz ou insegura. Mas também estou aprendendo com ela. A cada dia conhecendo suas carências e inseguranças,  e tentando dar o meu melhor para que ela seja feliz e uma criança tranquila. Tento chamá-la para me ajudar em todas as atividades que ela possa participar, elogio, estimulo, dou atenção sem super proteger e faço o que acho coerente para uma mãe que tem 2 filhas e que não pode parar a vida por causa de uma delas.

Sempre termino o dia sugada. E parece que a Bruna sabe disso. Pois  diariamente do nada ela vem, e me da um abraço e um beijo que me derrubam. E é o que faz tudo valer a pena.

Esse post é mais para mostrar que a vida não é tão bela quanto muitas vezes parece em fotos e relatos, e que a dificuldade no dia a dia desde que nos tornamos mãe está muito além de passar noites em claro,ter dores para amamentar ou adaptar um filho na escola.

O desafio de educar uma criança é algo diário, e é sim nossa total responsabilidade.

E essa é a maior culpa que carrego como mãe….

Por isso hoje eu pergunto, quem mais está passando por isso, ou quem já passou e conseguiu melhorar o panorama!?

 

Foto Projeto Família

 

Comentários 37

30

16 outubro, 2014
Por Katia Ouang

Captura de tela inteira 16102014 094435

Hoje a Inspiração Decor é com paredes decoradas para quartos de bebê e de crianças.

Várias idéias interessantes em como preencher a parede dando vida e personalidade ao quarto!

Começando com composições com letras de diferente formatos e acabamentos. Uma sugestão super bacana para brinquedoteca e quarto unissex:

image image

 

Outra idéia muito fácil são as bolas. Basta cortar bolas em mdf em tamanhos variados e colar um tecido! Você pode usar o que tiver de retalhos que fica uma graça!

image image

 

 

Adesivos de Parede são sempre uma opção para não gastar muito e deixar do jeitinho e tema que você quiser.

walldecor

image

image

 

Quadrinhos coloridos:

image image

 

Emoldurar alguma roupinha ou objeto que foi da criança ou da família também é uma idéia linda!

image

 

 

Florzinhas de gesso ou mdf:

image

 

 

Amei essa idéia do varalzinho com imagens!

image

 

E essa é uma das minhas composições preferidas, amo! Uma mistura de espelho com letras, molduras e muita cor!

image

 

Por último as prateleiras com objetos:

walldecor5 walldecor4 walldecor3

 

Eu já mostrei como fiz os quadrinhos do quarto das meninas que é a primeira foto do post!

Quem não viu ainda clique AQUI. É super simples e dá um efeito lindo!

 

 

Fonte: Google Images

Se você teve alguma foto publicada nesse post e desejar colocar os créditos devidos ou mesmo remoção,

enviar um email para [email protected]

 

 

 

 

Deixe um Comentário

1