26 janeiro, 2016
Por Katia Ouang

De volta no tema “ O que me deixa louca na maternidade” , hoje falo de mais algumas coisinhas que acontecem na minha rotina com as meninas e que me enlouquecem na maioria das vezes.

Como as manias e birras oscilam com uma certa velocidade ( ainda bem!), esse assunto sempre voltará por aqui!

Quem está no miolo do furacão do tão falado “terriblo twos” é a Manuela. Tudo é difícil, e ainda complica com ela que é uma fera, e quando cisma com alguma coisa, sai de perto.

A Bruna por outro lado melhorou muito em comportamento. E as birras e malcriação também estão aos poucos diminuindo… Sim, há luz no final do túnel! Não desanimem!

Vamos então aos principais motivos da minha irritação atualmente!

Hora de vestir da ManuelaSe eu achava que tinha problemas com a Bruna, estou em um pesadelo com a Manu. A pequena tem 3 anos e simplesmente não veste nada que não queira. Obviamente já entrou na fase que menina só veste saia e vestido, então shorts e calça nem vale a pena comprar a briga. A Bruna foi igualzinho. Só que com ela tinha negociação. A Manu simplesmente cisma que quer colocar um vestido de lã em pleno verão e não há quem convença ela que vai passar mal de calor.  Ela além de só querer usar saia e vestido,  tem que necessariamente escolher qual vai vestir. Então todo dia é uma guerra, uma gritaria ( sim, ela grita) e ainda endurece o corpo todo se você tenta vestir algo que ela não queira. Dentro desse tópico vale um destaque especial ao sapatos, que ela só usa um douradinho de couro. Nem tente colocar outro que é perder tempo e paciência. Enquanto esse sapato não furar, não vai ter jeito!

Lata de lixo em porta de elevador -Eu não sei se são só as minhas filhas ou de vocês também , mas elas colocam a mão em TODAS latas de lixo que ficam na porta de elevador. Se tiver aquela areia ou pedrinha branca então, aí nem pensa em pedir para não colocar as mãos que só falta  trazerem o balde e a pá para brincar. Fico louca com isso e não consigo fazer elas entenderem que é sujo e nojento.

Não comer pizza – Isso já virou perseguição para mim. A Bruna nunca comeu pizza, não tinha quem conseguisse a convencer de provar. Enquanto isso a Manu desde bebezinha amava. Com 1 ano e meio comia 2 pedaços sozinha! Até que virou tudo ao avesso. Do nada a Bruna experimentou uma pizza e amou (já faz 1 ano), e hoje come quase todos os sabores principais, e a Manu cismou que não gostava mais de pizza! Não come de jeito nenhum. O que me impede de sair com elas para uma pizzaria pois sempre uma das duas não comia. Quer ser mais anti-social do que não comer pizza?!

Chupeta – Esse é um tema que merece um post especial só para ele. Sofri muito na retirada da chupeta da Bruna, e conforme se aproxima para a Manu, parece que cada vez mais ela esta viciada e quer chupar 24hs por dia. É só chegar em casa para ir correndo pegar. Se eu não deixo, não para de chorar. E como eu trabalho em casa, acabo cedendo para ter um pouco de paz. Sei que não é a melhor opção mas também sei que estão com os dias contados, já que meu limite é 4 anos assim como foi para a Bruna.

Imprimir desenho – Vocês já cansaram de ver no meu instagram as meninas desenhando ou pintando. De fato é uma das coisas que as duas mais amam fazer. E eu super estimulo. O problema é que elas passam o dia todo pedindo para eu imprimir algum desenho,  e vira uma eternidade. As duas passam horas olhando a tela até escolher qual elas querem . E é claro que isso sempre acontece quando estou super atrapalhada com coisas de trabalho e precisando usar o computador para outras coisas.

Entrar no carro – Outra parte do dia que tem sido um perrengue. Primeiro porque elas saem correndo para ver quem chega primeiro no carro e quase sempre uma delas tropeça, cai e é aquele berreiro. Depois qual porta eu vou abrir primeiro. Se eu abro a da Bruna, a Manuela chora, e vice versa. E por fim, em qual delas eu vou colocar o cinto primeiro. Agora cá entre nós, mãe de 2 ou mais filhos, tem coisa mais chata que o processo de por e tirar do carro?! Abre uma porta, abre outra, coloca cinto em uma, depois na outra, da a volta no carro, fecha as portas….

Não deixar eu falar com outra pessoa – Isso além de eu morrer de vergonha, me tira do sério. Sabe quando você sai com as crianças e encontra algum conhecido? Para mim basta cumprimentar que elas começam ” Mãe , vamos embora”, “Mae quero comer”, “Mãe to cansada”, Mãe, Mãe Mãe….!!!! Não consigo trocar 2 palavras com a pessoa que elas atormentam tanto, que realmente o melhor a fazer é deixar para conversar uma outra hora.

Escondem meus elásticos – Comprar aquelas cartelinhas com elástico de cabelo já entrou praticamente na minha lista de custo fixo . Nunca que preciso de um elástico, consigo achar. As meninas pegam todos, escondem, usam de pulseira, colocam nas bonecas…. AAAAAAAAH !!

Hora de Rezar – Desde pequena eu rezo com elas antes de dormir. Eu rezo ,e elas rezam junto. Só que agora elas cismaram que cada uma quer rezar sozinha, em voz alta, e comigo do lado. Então vocês podem imaginar que eu quase durmo até cada uma terminar o seu turno. E que ninguém fale ou interrompa quem estiver rezando, pois se isso acontecer, elas param, olham para mim, e dizem; Mamãe, vou ter que começar de novo!  E chega a noite, a gente cansada, louca para que as crianças durmam, muitas vezes respiro fundo e falo: Ok, então começa de novo!

 

E vocês, se identificam com algum desses tópicos???

 

Quem quiser rever os outros posts desse tema, clique AQUI !

 

Comentários 6

8

20 janeiro, 2016
Por Katia Ouang

Captura de tela inteira 19012016 170037

Estive no final do ano no Restaurante ” Chácara Turma da Mônica” , onde funcionava o antigo Chácara Santa Cecilia.

Já conhecia o local antes de virar temático. Fui almoçar lá algumas vezes e sempre curti muito o espaço. Um local bem grande, espaçoso e super arborizado. Passa a sensação que estamos fora de São Paulo. Sem dúvida um dos pontos altos de lá.

Não fizemos reserva mas chegamos cedo para o almoço. Mesmo sendo férias até que foi tranquilo pois ainda tinham mesas disponíveis.

Sentamos perto do laguinho com tartarugas o que ajudou a entreter as crianças desde o início.

O restaurante funciona como Buffet e assim que você entra já recebe um cartão de consumo pois bebida e doces extras ( sorvete e algodão doce) são a parte.

Tem bastante opção de comida quente e fria e aperitivos. E ainda uma parte que faz massas e grelhados na hora, comida que basicamente resolve para a criançada. Mas para aquelas que tem o paladar infantil e não muito variado, tem opção de nuggets, salsicha e batata smile para facilitar a vida dos pais.  O que recebeu inúmeras criticas na inauguração do local e algo que me irrita um pouco , já que a proposta de lá não é um lugar de comida orgânica ou saudável e sim um restaurante como qualquer outro com o plus da ambientação.

Aquele “mi mi mi”  que já estamos acostumadas… #HajaPaciência

Porém, para essas crianças que só comem salada e comida integral, tem muita opção também. O Buffet é bem completo e tem muita variedade.

Eu não achei a comida nada de mais. Não estava ruim de maneira alguma,  mas também não comi nada delicioso.

O bacana de lá é o seguinte;  assim que sentei as meninas já desapareceram. Mas se quiser tem desenho e lápis na mesa:

Captura de tela inteira 19012016 164738

 

Como eu conhecia o local e sabia que não tinha muito por onde elas “fugirem”, deixei a vontade junto com os filhos das minhas amigas e sentamos para tomar algo e comer um aperitivo. A vantagem desse restaurante é que crianças acima de 4 anos, que já tem uma melhor noção. conseguem circular pelo espaço dando um tempo para os pais respirarem. Eu nem me preocupei com elas e pedi para a Bruna cuidar da Manu. Ensinei para ela o caminho de volta para a mesa e falei que qualquer coisa ela voltasse para la.

Em todos os cantos tem uma decoração da Turma da Mônica e uma ambientação adaptada para cada Personagem.

Capturas de tela5

 

As fotos abaixo são do site do Restaurante e mostram melhor a ambientação:


Os ambientes que as meninas mais gostaram foram o da Magali, onde fizeram uma aula de como fazer “Purê de Batata” e uma sala com um brinquedão , pula pula e piscina de bolinhas. Mais voltado para os pequeninos mesmo.

Em alguns dos ambientes tem monitores, mas eles não tem como ficar responsáveis pelas crianças, apenas olhar se está tudo bem.

É um programa bacana para fazer com mais casais com filhos. Melhor ainda se forem acima de uns 4 anos pois já se viram bem.

Para os pequeninos também vale muito a pena.

Minha dica é checar no site do Restaurante os valores do Buffet para adultos e crianças e até para quem leva babá. Pois os preços variam bastante conforme o dia da semana e feriado. Final de semana é quase o dobro de segunda a sexta ( pena que não me falaram isso antes!), além disso bebidas e itens como Picolé e Algodão Doce são considerados extra.  Não é um programa nada barato, então como disse, é legal ir em turma e passar um tempo lá. Também vale a pena checar a programação do mês já que em horários específicos é possível encontrar os personagens, fazer aula de culinária, brincadeiras e até plantar algo na horta!

Na saída ainda tem uma lojinha com itens da Turma da Mônica para a alegria das crianças e tristeza dos pais…. pois o preço também é bem salgadinho!

Captura de tela inteira 19012016 165105

 

 

Lugares assim faltam em São Paulo. Por isso acredito que se o Espaço souber manter a estrutura e não aumentar muito os preços, sempre será uma opção para os pais e as crianças!

Vou voltar com certeza mas agora durante a semana que sai mais barato!

#ficaadica

Comentários 2

0

18 janeiro, 2016
Por Katia Ouang

Capturas de tela3

Não era exatamente o post que eu gostaria de começar a semana escrevendo. Mas como aqui a vida é real, sem muitos rodeios, dessa vez não vou contar mais uma das minhas viagens delícia que fiz com as meninas, e sim uma semana com alguns perrengues e frustações.

Faz parte não?

Nem sempre as coisas saem do jeito que imaginamos, não temos como prever se estará tempo bom ou ruim, não temos como prever se alguém ficará doente, ou se algum imprevisto aparece pela frente.

Não é nada grave ou sério, só meio frustrante mesmo.

O que acontece é que 2015 foi um ano diferente para mim, e acabei não me programando para fazer algo no réveillon e nas férias, e quando decidi ver algo, já estava muito em cima. Seja para combinar algo com alguma amiga, seja para comprar passagem ou ver um hotel. Nessa época é tudo muito caro. E agora  separada tenho que pagar por 4 … eu, Bruna, Manu e minha mãe, já que acabo sempre levando ela para me dar uma mão.

Confesso que a semaninha entre natal e réveillon não foi a melhor experiência do mundo passar em SP. Ainda mais porque choveu muito, não consegui ir a um parque , piscina, fazendinha ou qualquer um desses programas que criança gosta. Mas aproveitei para ficar bastante com elas, dar atenção e brincar,   já que nessa semana quase não tive trabalho.

Consegui de ultima hora uma tarifa boa e decidi que passaria uns dias com elas no  Hotel CasaGrande no Guarujá, que terá um post especial sobre  toda sua estrutura logo mais. Essa foi minha escolha para um local que teria que ser praia necessariamente ( pois elas amam) , não precisasse ir de avião, que fosse perto para ir de carro, mas que tivesse estrutura de um Resort para eu também poder descansar e curtir um pouco. São poucos os Hotéis de praia assim, pois a maioria é pousada mesmo,  e costuma só ter café da manhã. Com criança pequena tem que ter o mínimo de estrutura.

Fomos na terça pela manhã em meio a uma chuva torrencial e desanimadora. Porém, como sempre, para elas tudo é uma festa. Basta chegar em algum hotel que elas ficam tão empolgadas e felizes que realmente com chuva ou sol, não faz muita diferença. Mais por mim mesmo que estava louca para pegar um solzinho.

Quarta, contrariando a previsão,  foi o único dia que não choveu e aproveitamos muito a praia e depois a piscina. Pelo menos teve esse dia.

Capturas de tela4

A noite fomos dormir e pela madrugada a Bru acordou vomitando. É muito raro ela vomitar.

Vomitou umas 3x ao longo da noite e estava bem tristinha pela manhã. Não quis comer nada. E nesse dia minha mãe também acordou péssima, passando mal.

Para completar o quadro, não parou de chover 1 minuto.

Fiquei com as meninas na salinha kids, brincando um pouco e tentando achar coisas para fazer. Minha mãe passou o dia no quarto com muito mal estar.

Na hora do almoço a Bru estava melhor e comeu um pouquinho. Manu não queria comer nada, nem tomar suco.

Fomos para o quarto e então a Manu começou a vomitar também.

Bacana não?

Minha mãe disse para que ficar com a Bruna que ela cuidava da Manu.

Fui passear um pouco com a Bru e por sorte, tinha um lugar de brinquedos ao lado do hotel, só atravessar a rua. E foi o que salvou nessa tarde chuvosa já que não tinha mais nada para fazer.

Capturas de tela2

Na sexta as meninas estavam melhor , mas além de não parar de chover, ainda teve o caso da nuvem tóxica do fogo que pegou em alguns containers em um pátio de armazenamento no Guarujá. Nuvem  que causou algumas intoxicações e gerou o boato da possibilidade de ter contaminado as praias da região. A recomendação seria não entrar no mar nos próximos dias até ter certeza que tudo estaria ok.

Ou seja, fazer o que no Guarujá com nuvem toxica, virose e chuva??

Fomos mais uma vez ao tal espaço de brinquedos ao lado do hotel onde as meninas brincaram até cansar… e esse dia, apesar de todos os perrengues, tivemos uma grande evolução… As meninas que não ficavam com monitores e recreação em hotel de jeito nenhum, quiseram participar da brincadeira da noite.

Deixei elas com os “tios” e fui jantar na santa paz com a minha mãe. Elas vieram só mais tarde e eu já senti que a viagem valeu por esse momento.

Captura de tela inteira 18012016 160845

Adoraram , não pediram por mim, e ainda queriam ficar mais!

Voltamos para o quarto triste por ir embora no dia seguinte, mas feliz por elas terem se divertido.

Só que aí eu comecei a passar mal de madrugada… Uma dor no corpo, um mal estar, enjoo. E eu sou daquelas que raramente fica doente.  Já estava achando que poderia até ser dengue… mas como eu não tinha febre, deve ter sido a virose também.

Tive uma noite do cão, não dormi nada, pois era só deitar, para me dar um enjoo horrível.

Só queria na verdade voltar para casa.

No sábado pela manhã eu estava um caco, não estava nada bem, e claro, como lei de Murphy sempre acontece; não tinha uma nuvem no céu!

Minha mãe desceu com elas para tomar café e depois ficar um pouco na piscina, já que a recomendação era evitar a praia.

Ao meio dia tínhamos que deixar o quarto. E eu passando mal , ainda tinha um caminho para dirigir ( minha mãe não dirige em estrada) e o sol bombando lá fora!

Confesso que passei sábado a tarde um pouco estressada e frustrada com esses dias.

Eu de fato mal aproveitei, mas elas adoraram.

E no final, é sempre só isso que importa não?

E vamos começar a semana( e agora sem sumiços )e com muitos posts para vocês!

Certeza que esse ano logo mais vou começar a programar minhas férias e réveillon!

Beijos

*K*

Captura de tela inteira 18012016 160841

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comentários 2

4

11 janeiro, 2016
Por Katia Ouang

Desde que me tornei mãe me adaptei e me acostumei com quase tudo na nova rotina com criança em casa.

Mas se tem algo que até hoje é difícil para mim e me tira do sério é;  acordar e dormir cedo!

Dormir cedo eu até tenho a opção de conseguir ou não. Só que eu não consigo.

E acordar cedo eu não tenho opção. Tenho que acordar assim como todo ser humano que trabalha, que leva os filhos em duas escolas diferentes e que tem uma vida ativa. Só que muito cedo é o que pega para mim.

Desde pequena tenho o péssimo hábito de dormir tarde, pois meus pais sempre dormiram muito tarde então para eles era ok. Depois que sai de casa para casar e em todo período antes de ser mãe continuei dormindo tarde… Meu horário de acordar era por volta das 7.30. Talvez tive sorte de ter empregos que eu entrava as 9 e não as 8.

E deixando claro que mesmo assim, sempre acordei com despertador e me arrastando.

Após o nascimento da Bruna tive um período de adaptação não apenas a acordar cedo, mas sim a dormir pingado, que é uma das dificuldades maiores de toda mulher com um recém nascido em casa. Mas isso foi por pouco tempo, digo bem pouco mesmo, pois tive a sorte da Bruna começar a dormir a noite toda com 4-5 meses e sempre com o horário de despertar depois das 8 da manhã. Ou seja, se eu fosse dormir a meia noite, ainda dormia 8 horas tranquilamente. Por isso nem precisei reeducar meu sono para dormir e acordar mais cedo.

Isso durou 1 ano e 10 meses, até a Manu nascer.

E essa apesar de também dormir a noite toda,  nunca gostou de acordar tarde… a real é que até os 3 anos nunca passou das 7 da manhã. E 7 da manhã é lucro! A média é entre 6 e 7.

Foi nessa época que comecei a dormir bem menos que meu corpo pedia e meus dias se tornaram muito mais cansativos. O processo de exaustão culminou nos últimos meses devido a muito trabalho que me fez ir por madrugadas a dentro sem hora para acabar. Nessa fase que até pedi ” um tempo” do blog pois eu simplesmente não tinha mais como escrever.

Me sentia tão cansada e com um sono tão forte, que dava qualquer coisa por uma cama e alguns minutos de sono. E em um episódio que me assustou bastante, quase dormi dirigindo em plena marginal.

Ser mãe,

Trabalhar,

Ter blog,

Cuidar da casa e de tudo que isso envolve,

Passar algumas madrugadas ( algumas muitas!) com filho acordado por “n” motivos,

Fazer ginástica….

Definitivamente não tem como funcionar se não tiver o mínimo de qualidade no sono.

Decidi então que iria fazer algo por mim,  já que exaustão chega uma hora que nos impede de fazer qualquer coisa bem feita. E estava na cara que essa dinâmica não estava funcionando na minha rotina.

Como a Bruna vai mudar de escola no próximo mês (isso terá um post especial logo mais) e a escolinha da Manu tem opção de trocar o turno,  optei por um novo esquema onde elas vão estudar a tarde. Assim quando elas acordarem logo cedo vão para a sala assistir um pouco de desenho e eu fico mais um pouco na cama sem pressa. Se eu ganhar mais 15 minutinhos de sono que seja, já está super valendo. E só o fato de poder tomar café com calma, não ter que me trocar e sair correndo , já muda muito meu humor.

E desde que decidi essa mudança já comecei aos poucos coloca-lás um pouco mais tarde para dormir. Um processo onde tudo tem que ser feito repetidamente e com muita calma para que se adaptem sem perceber.

E hoje já estou no lucro! Após 1 mês que iniciei essa mudança, ao invés de acordarem entre 6.30-7, já passaram para 7.30-8!

Minha manhãs logo mais serão bem curtas e improdutivas, já além de acordar um pouco mais tarde, terei pouco tempo para levá-las em algum curso extra, dar almoço e ir para a escola. Pelo menos a tarde consigo trabalhar sem interrupção… E caso precise trabalhar de madrugada, consigo dormir um pouco mais no dia seguinte.

Não sei se vai funcionar,  mas pelo menos esse ano preciso me recuperar um pouco de todo o cansaço físico e emocional de 2015. As vezes temos que fazer um pouco por nós também!

Depois conto para vocês como estamos e termino o post com mais algumas frases engraçadas e que sou eu atualmente!

Alguém mais se identifica?

Beijos e Boa Semana!

*K*

Comentários 4

7