28 abril, 2015
Por Katia Ouang

 

Devido ao sucesso do post ” O que me deixa louca na maternidadeParte I e II, resolvi fazer mais uma parte. E pelo decorrer das coisas em casa, acho que esse não será a último não, ainda vem mais posts sobre isso aqui no blog!

O terrible two está forte na Manuela e ainda não acabou na Bruna. Então vocês podem imaginar como eu fico doida as vezes. A Bruna é manhosa e mimada , mas mais tranquila para negociar. A Manu é uma criança bem resolvida; independente, topa tudo, mas se ficar nervosa, aí parte para ignorância e não tem conversa.

Com isso relacionei mais uma série de coisas que me enlouquecem na rotina como mãe e que com certeza vocês vão se identificar. Começando com a top que não sai da minha lista:

– Acordar muito cedo! Meu Deus, será que alguém pode explicar para essas meninas que é tão bom dormir até mais tarde… Essa de que         ” com o tempo a gente acostuma” não rolou comigo. Depois das 7 eu me arrasto, mas sei que é normal. Mas quando essas meninas resolvem acordar as 6 ou até antes disso, preparem-se para ver uma pessoa que não consegue achar graça nenhuma , e mesmo elas vindo carinhosas e cheias de energia, a única coisa que passa pela minha cabeça é falar; voltem para a cama, pelo amor de Deusssssssssssss!!!

– Limpar os ouvidos: Sinceramente, estou quase tirando essa função da rotina de higiene das meninas. É começar uma guerra toda vez que elas me veem com um cotonete na mão. A Bruna com muita negociação ainda consigo limpar um pouco. Mas a Manu, só depois que dorme e mesmo assim, se ela acordar, sai de perto.

– Sumir com as minhas canetas. Montei uma estação de trabalho na minha casa e sempre deixo um porta lápis com canetas e post-it para anotações. Parece que mesmo tendo todos os lápis e canetinhas possíveis, elas querem usar a minha velha e boa  BIC azul. Basta eu comprar novas ( toda semana), colocar no porta lápis, que aciona um sensor e elas pegam, escondem e perdem. Pois nunca vi perderem tanta caneta. Elas simplesmente desaparecem de casa.

– Colocar para dormir. Sim, esse item já apareceu no post parte I. Mas se eu já não tinha muita paciência quando era só a Bruna, imagina agora que são duas e que dormem no mesmo quarto. Tenho que por uma de cada vez pois a Manu só dorme com luz apagada, porta fechada e história ( ainda bem que aquela do sorvete ainda funciona bem por aqui – veja post) e a Bruna com porta aberta, luz do corredor acesa e sem barulhos. Eu mereço! Já tentei otimizar colocando as duas ao mesmo tempo, mas é pior.

-Brigas entre elas. Na maioria das vezes causada pela Bruna que quanto mais cresce, mais ciumenta fica. O problema é que aí ela provoca a Manu e essa não deixa barato. Resolve revidar e bate, arranha, não tem medo. A questão é que elas decidem fazer isso no carro quando eu estou dirigindo, quando eu tento falar com alguém no telefone, quando encontro alguma amiga, na porta da escola… e aí eu tenho que me conter e tentar amenizar de uma maneira pacífica, algo impossível.

– Dar banho no vestiário da natação. Se tem algo que me irrita é ter que dar banho em um lugar que não seja nossa casa. Fora que o chuveiro é daqueles que a criança fica mais alta e que facilita para a nossa coluna , mas acabo tomando um banho também e saio de lá encharcada. Já preferi dar banho em casa mas cheguei a conclusão que é melhor trazer ela já pronta para jantar.

– Quando me xingam ou falam algum palavrão. Sim, nós tentamos a todo custo evitar que nossos filhos tenham contato com palavras inadequadas. Mas não adianta, eu mesma quando fico fora de mim acabo falando o que não devo. Mas agora elas aprenderam a falar ” Sua Chata” “Sua Boba” e usam alguns termos que me deixam louca. Vocês que tem filhos no terrible two e estão achando difícil a fase de birras, vão ver quando te xingarem a primeira vez. Nada que me enlouqueça mais que isso.

– Levar as meninas comigo na Padaria. Vira e mexe eu acabo na padaria para comprar pão ou algo que faltou em casa pois fico com preguiça de ir no supermercado. Mas é só por os pés lá que começa; Mãe me compra um sorvete? Mãe me compra um pirulito? Mãe me compra a padaria inteira? AAAAAAAAAAAAH ! O pior é que basta falar não para se jogarem no chão ou pegarem alguma bala do balcão e saírem correndo falando que não vão devolver.

 

Ufa, por hoje está bom não?!

Com vocês também é assim?

E me acompanhem no SnapChat ( minhasdikas), estou adorando poder mostrar um pouco mais do meu dia de uma maneira mais informal!

1 Comentário

4

27 abril, 2015
Por Katia Ouang

Capturas de tela76

Quem me acompanha no blog já percebeu que aqui em casa uma das atividades que as meninas mais gostam de fazer é pintar, então fiquei super feliz quando fui escolhida pela HP para fazer um post do uso da impressora na minha vida.

No natal de 2014 “me dei” de presente uma impressora pois não tinha em casa, já que a ultima que tive gastava muito com cartuchos. Me surpreendi quando busquei uma opção econômica para comprar que além do preço da impressora ser excelente, os cartuchos são bem acessíveis e duram bastante! Minha opção foi uma HP da linha Deskjet Ink Advantage que além de imprimir, também faz copias pb , colorida e scaneia. O melhor é que quando usada na melhor qualidade de impressão, fica perfeita! Não esperava uma impressão tão boa em um modelo de tão baixo custo! Com a promoção que eles estão fazendo agora mesmo, fica ainda mais fácil de comprar! Veja aqui

A impressora é super útil para mim que trabalho no esquema Home Office e que muitas vezes precisava sair para scanear ou copiar algum documento. Mas o principal foi poder usá-la para atividades das minhas filhas.

Tenho usado praticamente todos os dias, já que a escola delas sempre solicita algumas pesquisas, desenhos e conteúdos impressos para elas levarem. Assim como fotos das férias ou de algum momento bacana que é só comprar um papel fotográfico, e imprimir em casa. E como eu sou adepta do estimulo a criatividade, amo imprimir desenhos para transformar em quebra cabeça, jogo da memória e outras brincadeiras.

Sempre passava pelas bancas de jornal e comprava aquelas revistas que vem com desenhos para colorir e que elas adoram. Mas cheguei a conclusão que não valia a pena, já que poderia imprimir alguns desenhos em casa e gastar muito menos. Além delas poderem escolher o que quiserem, pois hoje conseguimos buscar essas imagens para colorir na internet em todos os temas e personagens possíveis.

Então elas adoram sentar comigo, escolher na tela algum tema e esperar o papel sair da impressora. Vira uma diversão! Já aprenderam a colocar o papel e até trocar o cartucho!

É a HP pensando com carinho nas mães de hoje para facilitar nossa vida permitindo ter mais tempo ao lado dos nossos filhos!

E vamos começar a semana!

Beijos

*K*

Captura de tela inteira 27042015 092037

 

 

 

 

Deixe um Comentário

1

22 abril, 2015
Por Katia Ouang

IMG_2986

Nem acredito que hoje farei mais um post de uma questão resolvida e encerrada por aqui. Podem imaginar minha alegria como mãe não?! Comecei com o desfralde da Manu  semana passada (veja aqui), que foi difícil mas agora está mais do que resolvido, e agora vou contar sobre o conturbado sono da Bruna. Que após 1 ano e meio, está temporariamente resolvido.

Digo temporariamente pois a vida com crianças é uma caixinha de surpresas. Nada é definitivo.

Quem me acompanha sabe o que tenho passado e a minha luta em tentar fazer a Bruna voltar a dormir sozinha sem vir para o meu quarto. E para resumir para as mães que chegaram a pouco tempo, tudo começou quando em outubro de 2013 a Manu foi internada por 4 dias, e eu fiquei no hospital com elae o pai com a Bruna em casa. Nesse período ele a levou para dormir na nossa cama para não ficar sozinho e pronto, de lá ela nunca mais quis sair.

Até então, desde os seus 4 meses , ela nunca havia dado 1 trabalho para dormir. Sabe aquela situação de sonho que toda mãe idealiza? Criança que dorme pontualmente as 8 horas onde eu colocava no berço, apagava a luz, fechava a porta e vê-la de novo só 12 horas depois. Nunca chorou, nunca acordou, nunca pediu para sair… nada. Claro, tudo que é bom dura pouco. Mas durou o suficiente para eu ter uma boa adaptação ao primeiros meses da vida de mãe , sem traumas de noites acordadas ou com criança chorando.

Mas claro, chega a hora do perrengue para todo mundo. Pode esperar!

E então tudo virou de cabeça para baixo de uma noite para outra. E ela simplesmente não queria mais dormir no berço, não queria mais dormir sozinha, não queria mais que apagasse a luz… era uma guerra todas as noites. Então tirei do berço e aí o panorama desmoronou de vez. Ela levantava da cama, saia correndo, não dormia. Para conseguir fazê-la pegar no sono era todo um processo. Tinha que ficar horas contando história a ponto de eu quase perder a paciência. E então ela dormia. Mas vinha para minha cama todas as noites sem exceção.

Me empenhei em reorganizar o sono dela pois apesar de ser delicioso dormir com filho, ainda acho que cada um ter a sua cama e aprender a ficar nela, é a melhor opção. Até me mudar temporariamente para o quarto dela eu fui para entender se ela tinha algum medo, se acordava a noite com algum barulho, enfim.

Nenhum resultado ou progresso.

E há 1 ano que desencanei. Assumi a cama compartilhada e aceitei que a curto prazo seria essa a realidade. Conversei com muitas mães com filhos na idade da Bruna, e a maioria que passa por isso e só fala; Pode acreditar que vai chegar a hora em que ela mesma vai embora do seu quarto pelas próprias pernas! Mas e aí? Até essa hora chegar o casal dorme acampado?

Aceitei ela vir de madrugada para minha cama, mas não abri mão de colocá-la diariamente em sua cama e faze-la dormir lá.

Até que no inicio desse ano a Manu também saiu do berço. E passou a me dar um trabalho insano não só para dormir como  vindo para minha cama todas as noites.

Aí eu surtei. E decidi que tem limite.

Não cabem 4 pessoas em uma cama e todos dormem mal.

E então me empenhei a todo custo em fazer a Bruna aprender a dormir sozinha. Decidi que mesmo que tivesse que a levar de volta 20x  por noite e passar a noite acordada, faria isso.

Como ela já tem uma compreensão bem maior de tudo, achei que poderia conversar e “negociar” essas idas à minha cama. E foi isso que aconteceu. Diariamente cada vez que ela aparecia eu levantava, pegava em sua mão e dizia: ” Vamos para a sua cama, a mamãe está aqui, vai com você” . E chegando na cama e ajeitava ela e dizia: ” É muito melhor você dormir na sua cama, tem um espação para você e a mamãe vai ficar muito orgulhosa se você dormir aqui”. Fiz isso por umas 2 semanas. E ela vinha e voltava umas 4x por noite e eu com toda paciência do mundo explicava o quanto era importante ela ter o seu cantinho, sempre passando segurança e deixando claro que eu estaria sempre ali do lado para o que ela precisasse.

Até que um dia eu levei de volta apenas 1x e ela veio me acordar de manhã toda feliz dizendo: ” Mamãe, olha, eu dormi na minha cama!” E então eu a abracei e disse o quanto estava orgulhosa! E fizemos um combinado. Cada dia que ela acordasse na sua cama ia ganhar uma moedinha. Poderia ser de 5, 10 ou 25 centavos. A de 25 era a maior de todas, para os dias que ela não só acordasse em sua cama mas também não viesse nenhuma vez para a minha. E que depois de alguns dias elas poderia ir à banca de jornal e escolher o que ela quisesse com aquele dinheiro.

E deu certo. Muito certo!

A partir desse dia ela não veio mais para a minha cama e acordava toda feliz na dela, vinha correndo e dizia; Mamãe, cade minha moedinha? Hoje é de 25 né?

E todo dia virou uma curtição. Ela guardava as moedinhas em um cofrinho e quando juntamos algumas, fomos a banca de jornal.

Hoje ela não ganha mais moedas mas ganha um “Parabéns” todas as manhãs e um abraço onde mostro todo meu orgulho.

E o que eu aprendi desse processo? Que mais uma vez o sucesso de uma mudança depende totalmente da nossa persistência e paciência. Que as crianças entendem muito bem nosso comando, basta passarmos segurança e mostrar que é o melhor caminho. Sei que na maioria das vezes nós mesmas temos preguiça de iniciar um processo de mudança por saber o quão trabalhoso e cansativo pode ser. E a cama compartilhada é um dos processos mais difíceis de reverter. Pois sabemos que não traz nenhuma consequência para ninguém, e qual mãe que não ama dormir com o filho? Mas decidi que por aqui seria hora de parar e acreditei nisso para poder passar para a Bruna que essa era a melhor opção.

E valeu a pena!

Subimos mais um degrau por aqui e agora vamos ao segundo desafio; fazer com que a Manu não venha mais! #oremos !

 

Comentários 7

17

17 abril, 2015
Por Katia Ouang

Para quem me acompanha há pouco tempo, eu tenho uma marca de Papelaria Personalizada, a PaperK que já apresentei algumas vezes aqui no blog.

Hoje queria mostrar um produto que desenvolvi e tem feito o maior sucesso com as mães que querem uma papelaria com a carinha do seu filho. É o Projeto ” Marca Registrada” ! Basta tirar uma foto nítida de um brinquedo favorito, seja um bichinho, um boneco, um carrinho, uma naninha ou até mesmo uma roupa que sua filha adore, enfim, qualquer objeto real. Nós transformamos em imagem e inserimos em cartões, adesivos, tags e presentes!

O projeto começou com o gatinho que a Bruna ganhou da Fada da Chupeta, lembram? Como ela não desgruda dele o dia todo e eu adoro suas cores e formas , aproveitei para fazer todas as tags de mochila e lancheira com ele. Não teria nenhum outro desenho que representasse tão bem essa fase dela.

Vejam que fofo fica:

Capturas de tela77

 

Alguns exemplos de como podemos fazer:

bichinho

 

E esse ficou muito fofo. A Clara, mãe da Luana, me mandou a foto do vestido que ela usou na sua festa de 1 aninho e transformamos em um cartão nas mesmas cores!

Sem título-1.jpgvetsido

 

 

Além dos cartões , o item que mais fazemos para as crianças são as etiquetas de/para,  para colocar nos presentes. E essas também podem ser feitas no mesmo tema do cartão.

Gostaram?

Para maiores informações: [email protected]

www.paperkpapelaria.com

Instagram: @paperkpapelaria

 

Beijos e Bom Feriado

*K*

Deixe um Comentário

2