2 junho, 2015
Por Katia Ouang

A escolha do pediatra talvez seja uma das decisões mais importantes que a mãe tem que fazer antes do bebê nascer. Mesmo porque assim que saímos da maternidade, já temos que levar o bebê para sua primeira consulta.

É é nessa primeira consulta que tomamos um banho de informações onde saímos pensando: Será que darei conta ? Jeito certo para amamentar, arrotar, rotina, como limpar o umbigo, cortar unhas, entender a cor do cocô … entre outras varias informações que fazem nossa cabeça pirar. E uma boa orientação, com carinho e paciência acreditem, faz toda a diferença no primeiro filho.

Lembro que não fui conhecer o pediatra antes da Bruna nascer pois acabei optando pelo meu pediatra, e que até hoje tenho um carinho gigante por ele. Um médico que me abraçou na primeira consulta como pai, e me incentivou de uma maneira super positiva a conseguir amamentar mesmo passando por todas as dificuldades que tive.

Levei a Bruna nele por 1 ano, e então quando engravidei da Manu gostaria de um consultório mais próximo de casa , já que seriam 2 para levar.  Desse dia até hoje acreditem, já troquei umas 4x de pediatra até estar super satisfeita hoje,  mesmo a Manu tendo uma pediatra e a Bruna outra. Isso porque a Manu já teve alguns probleminhas mais sérios ( quem me acompanha sabe) e tem toda uma equipe de um mesmo hospital que possa atendê-la em qualquer emergência.

Então hoje vou listar alguns pontos importantes na escolha do pediatra que por ter passado por todo esse “troca troca” me trouxe bastante fundamento na hora de escolher.

– Empatia: Esse é o ponto número 1. É claro que profissionalismo e competência são indiscutíveis. Mas se você e o pediatra não tiverem uma relação bacana desde o primeiro dia, isso só irá dificultar sua vida como mãe de primeira viagem. Pois no primeiro filho acreditem , é possível que você ligue 200x para o pediatra achando que seu filho vai morrer por causa de uma assadura ou de uma bolinha diferente que aparece no rosto! Já passei as meninas com médicos super competentes, mas morria de vergonha de ligar e estar atrapalhando, ou rezava para o médico atender com toda boa vontade do mundo. Essa sensação nós NÃO podemos ter. Médico é médico, ligue quantas vezes achar necessário pois é o nosso porto seguro quando diz respeito à saúde dos nossos filhos. Por isso acho importante sim conhecer o Pediatra antes do bebê nascer.

– Experiência: Claro que quanto mais tempo dentro de uma profissão, mais experiente o profissional, mais conhecimento sobre todos os assuntos. Porém, nesses quase 5 anos, conheci muitos pediatras da nova geração com competência dos mais experientes e somado a isso a vantagem de serem super atualizados sobre todos os assuntos.

– Referências : Não peça apenas indicação de pediatra no bairro que você mora ou algum que seu plano de saúde cubra. Se informe com outras mães sobre como é a relação delas com o pediatra dos seus filhos, se conhecem outras pessoas que frequentam o mesmo consultório, como foi a participação do Pediatra em algum caso mais complicado, se a agende dele é muito cheia. Tudo isso conta na hora de escolher. Uma opinião de outra mãe pode acreditar que tem todo o valor. Pois ninguém vai indicar alguém que não seja bom para o seu filho.

– Facilidade de Comunicação: Hoje com tantos recursos rápidos e práticos como sms, whatsapp, email, etc, é possível ter um retorno quase que imediato do pediatra sem precisar esperar um dia todo a secretária retornar a ligação como fazíamos antigamente. Perguntas como quantos ml de remédio dar, qual vacina, e até enviar fotos de uma alergia ou machucado facilita muito nossa vida e nos “poupa” de fica sem graça em telefonar só para tirar uma dúvida. Eu praticamente não telefono para pediatra exceto em emergência. Um pediatra que não usa ao menos um sms, não funciona para mim. E foi isso um dos motivos que deixei de ir no meu primeiro. Por ser um profissional mais maduro, nem email usava. Então muitas vezes eu tinha que esperar até a noite para conseguir falar no telefone. Hoje todas as minhas dúvidas eu resolvo por whatssap rapidinho. Seja com a pediatra da Bruna, ou da Manu. Nada como ter uma resposta em poucos minutos! E mesmo com toda essa tecnologia ligue quantas vezes achar necessário se você é do tipo que prefere falar do que escrever. Cada mãe sabe o seu perfil. Por isso escolha um profissional que te deixe a vontade.

– Disponibilidade: Cada vez mais as agendas dos médicos estão lotadas. Mas com criança é sempre melhor passar por um pediatra do que ir ao PS de um hospital e receber um diagnóstico de um médico que não acompanha o histórico dos nossos filhos. Pediatra para mim tem que arrumar um encaixe para ver minhas filhas em caso de necessidade. Pois de que adianta ter um médico que nunca tem horário ou que não pode ver nossos filhos em uma emergência?

– Pontualidade: Claro que um pouco de atraso sempre pode acontecer. E em algumas exceções se o médico atendeu alguma emergência pode  acontecer um atraso maior totalmente compreensível. Mas se for de rotina esperar 1 hora com um bebê para ser atendida, repense se vale a pena. Para mim pontualidade está entre os primeiros quesitos pois como trabalho e tenho meu dia programado, preciso saber que vou conseguir fazer tudo que preciso.

– Valor da Consulta: Se você tem um plano de saúde com um bom reembolso, ótimo. Mas se você não tem, coloque no papel os gastos no primeiro ano do seu filho. Pois até 12 meses a consulta com o pediatra é mensal. Então esse é um custo fixo que você terá junto com todos os outros que uma criança traz. Tem muito Pediatra excelente sem que para isso o valor da consulta seja exorbitante. Claro que o que eu penso ser exorbitante, pode não ser para outras mães. Por isso valor não se discute, cada mãe sabe o que é viável para sua família. Aqui o valor conta sim, e muito. São duas crianças que por um tempo frequentaram quase que todo o mês o pediatra. Então eu tinha 2 consultas por mês como despesa.

– Proximidade: É um fator determinante? Não. Mas posso garantir que para quem mora em São Paulo como eu, isso é uma das condições sim. Pois será que vale a pena atravessar a cidade com o um bebê recém nascido com tantos profissionais excelentes que temos em todos os bairros?

– Estrutura do Consultório: Um dos motivos que deixei de ir no primeiro Pediatra é que o consultório ficava em uma casa, com apenas 2 vagas na frente. Se não tivesse vaga, o estacionamento mais próximo ficava a 2 quadras. Nada prático para uma mãe que desce do carro com um bebê, uma sacola, um guarda chuva…. pois tinham vezes que para completar ainda chovia. Outro ponto a considerar é se existe um mínimo de entretenimento para as crianças na sala de espera. Seja um livrinho, um brinquedo, um desenho na tv. Pois só quem tem filhos na faixa de 1 a 2 anos sabe o que é esperar em uma sala sem nada para fazer. Ok, não é prioridade e você pode levar um Ipad. Mas digo isso por experiência pois muitas consultas que levei as duas juntas o que me salvou foram os brinquedinhos que uma brincava enquanto a outra era examinada.

Mas como sempre o que vale é o bom senso. Cada mãe tem que achar um pediatra que atenda as suas necessidades e a faça se sentir segura e bem acolhida. Pois a realidade é essa; nós como mães gostamos de ser acolhidas por alguém que nos traga segurança!

Espero ter ajudado com esse post!

 

Comentários 2

4

8 setembro, 2014
Por Katia Ouang

Hoje vou abordar um assunto diferente e que diz respeito à saude da mulher; a prevenção do Câncer de Mama.

E por que vou falar sobre isso aqui no blog já que o foco é maternidade ? Pois sei muito bem que depois que nos tornamos mãe, esquecemos um pouco de cuidar de nós para cuidar dos nossos filhos. E garanto que boa parte das mães vive essa realidade. Tudo que se diz respeito aos filhos, é prioridade. E nós , o que der para fazer ok. O que não der, paciência.

Mas quando estamos falando de saúde não funciona bem assim. Acima de tudo nós mães temos que estar bem.

Sempre me cuidei, faço check up , vou ao ginecologista todo ano, e tenho o costume de fazer o auto exame. E por não ter histórico de câncer de mama na minha família,  não me preocupava tanto com esse assunto, já que a mamografia seria indicada a partir dos meus 40 anos.

Até que há alguns dias, em um exame de rotina no consultório, o médico diz; Katia, encontrei um nodulo no seu seio esquerdo, vou te pedir um ultrassom de mama e uma mamografia. E eu disse; Mas precisa mamografia? E o médico disse; Com certeza! Precisamos checar!

Meu mundo parou naquele momento, uma mistura de pânico, medo, e imediatamente minha reação foi acreditar que poderia ser algum tipo de tumor. O médico estava tranquilo, disse que acreditava não ser nada de mais. Mas nada de mais não significa certeza de nada não? E eu só pensava nas minhas filhas….

Me deu esse pânico pois eu já conhecia alguns casos de pessoas próximas que a descoberta de um nódulo em consultório, virou um processo longo e sofrido entre cirurgia e quimioterapia. E como eu já sou de natureza meio neurótica com a minha saúde, acabo sempre imaginando o pior. Como eu iria passar 3 dias na praia para comemorar meu aniversário logo no dia seguinte, prometi que não pensaria mais no assunto até chegar o dia dos exames.

A real é que alem do pânico de qualquer doença, eu também tinha medo da mamografia em si, pois sabia ser um exame extremamente desagradável e dolorido. Lembro de várias vezes na minha infância minha mãe reclamar desse exame contando que ficou machucada e que doía bastante.

Por incrível que pareça, consegui conter a ansiedade e os pensamentos ruins sem pensar no assunto e aproveitando meus dias em família.

 

Chegou o dia do exame e então nesse dia eu comecei a me estressar. Nem tanto pelo exame, mas sim porque sabia que iria surtar até saírem os resultados.

 

A mamografia em si é de fato bem chatinha, incomoda, dói, mas nada que alguns minutinhos não resolvam. Eu achava que seria bem pior. E isso de certo modo já me deixa mais tranquila pois daqui para frente , será um exame de rotina na minha vida. Já que acabei de fazer 39 anos.

Depois da mamografia fui fazer o ultrassom de mama.  No ultra a médica me tranquilizou um pouco dizendo que não encontrou nada , que se tivesse estaria muito no comecinho. Mas só a mamografia teria como confirmar. Porém pelo tom dela, já deu para sentir que não era nada de mais.

E graças a Deus , não era mesmo! O  resultado saiu 2 dias depois e só indicou nódulo benigno.

Queria contar essa experiência para mostrar a importância do auto exame para poder descobrir qualquer coisinha desde o inicio. Nós podemos ajudar e muito para que um nódulo seja descoberto a tempo de fazer um tratamento bem sucedido. E confesso que toda vez que vou me examinar, fico um pouco tensa com medo de encontrar um carocinho. Mas faz parte. E mil vezes isso a ter que tomar um susto de encontrar algo já mais avançado.

Acho que quando somos mãe, qualquer resfriado já nos deixa super preocupada. Imagina se for algo mais sério então.

 

Para quem não tem o hábito do auto exame, busquei uma imagem explicativa e bem interessante:

autoexame_mama_materia

 

 

Vale também a pena dizer que alguns sinais podem indicar o câncer de mama , veja:

227657_425023940899939_1436819439_n

Então se você perceber mesmo que sutilmente qualquer alteração na mama, consulte seu ginecologista. Ninguém melhor do que ele para te orientar.

 

Assunto não tão leve para começar a semana, mas de muita importância para nós mulheres. Cuidar da saúde é o ponto número 1 do meu Projeto Super Mommy!

 

E bola para frente com uma ótima semana para todas´nós

 

Comentários 4

1

17 março, 2014
Por Katia Ouang

O post de hoje é mais um que conta com a colaboração da querida Fernanda Papa de Campos que entende tudo sobre Primeiros Socorros e ministra cursos por todo o Brasil.

Hoje o texto é sobre Plantas Tóxicas. Um tema bem inusitado e que pouco nos preocupamos, mas que me despertou interesse depois que a Manu queimou o dedo em alguma planta e formou uma bolha enorme durante um passeio que fizemos no parque. Para mim as bolhas só vinham de queimadura de calor.

Além disso as meninas amam descer no térreo do prédio com uma cestinha e brincar de escolher folhinhas diferentes. Eu adorava ver elas se divertindo apenas mexendo com as plantas e flores. E para minha surpresa, boa parte dessas plantas que tem no meu prédio são tóxicas! Claro que se forem ingeridas. Mas muitas delas causam alergias de pele, urticaria e queimadura , principalmente com aquele liquido que parece um “leite” que sai quando arrancamos a folha.

Por isso achei esse tema super informativo e muito importante ! É bom saber quais são algumas das plantas que apresentam  risco e como agir caso seu filho apresente alguma reação.

Boa Semana!!!!

 ************************************************************************

Resolvemos alertar sobre as plantas tóxicas que possuímos em vários jardins de casas, parques e locais que estão ao alcance das crianças. Sabemos que crianças gostam de colocar tudo na boca, principalmente as de menor idade, por isso fiquem atentos! No Brasil aproximadamente 60 % das intoxicações por plantas tóxicas são por crianças menores de 9 anos e 80% são acidentais. Todo cuidado é pouco!

Vamos lá:

Tinhorão, Comigo-ninguém-pode e Copo-de-leite Todas essas plantas são tóxicas e podem causar sensação de queimação e inchaço nos lábios, boca e língua. Ocorre enjôo e vômito, diarreia, salivação em excesso, causando dificuldade para engolir e podendo causar asfixia. Se houve contato com os olhos, pode haver lesão da córnea.

tinhorao

(Tinhorão)

comigo

(Comigo ninguem pode)

COPO_DE_LEITE_BRANCO_CREME__97935_zoom

( Copo de Leite)

Saia-branca Toda a planta é tóxica, podendo causar boca e pele seca, taquicardia (coração acelerado), rosto avermelhado (ruborizado), pupilas dilatadas, alucinações, elevação significativa da temperatura corporal (hipertermia), agitação e pode levar até a morte.

planta

Aroeira Toda a planta é tóxica, o “leite”, ou seja, a seiva que sai da planta em contato com a pele provoca uma reação de vermelhidão, coceira e bolhas que duram vários dias. Se for ingerida pode causar alterações do aparelho digestório.

aroeira

Coroa-de-cristo Toda a planta é tóxica e sua seiva causa lesão na pele e mucosa. Os lábios, boca e língua ficam  com queimação, dor e coceira. Os olhos avermelhados e queimando, lacrimejando e com inchaço nas pálpebras, podendo alterar a visão. Se ingerir a planta pode ocorrer enjôo, vômito e diarreia.

coroa-de-cristo (2)

Pinhão-roxo As folhas e os frutos são tóxicos, se forem ingeridos provocam vômitos e dores abdominais (na barriga) e diarreia com muco e sangue. Falta de ar e pode levar a morte.

Jatropha_gossypiifolia1

 

Agora que você já conhece um pouco dos malefícios dessas plantas, tome cuidado, pois elas estão espalhadas onde menos esperamos.

Ensine as crianças que ao brincarem de “fazer comidinha”, não usem plantas do jardim, pois nunca sabemos qual de fato não será perigosa. Caso a criança engula a planta, faça-a cuspir. Se der retire da boca de forma cuidadosa. Enxague a boca com água corrente, guarde a planta e leve a criança a um pronto atendimento. Caso já tenha engolido tudo, NÃO faça vomitar, pode ser mais prejudicial, pois podemos causar uma lesão maior nas mucosas. O perigo mora sempre ao nosso lado, logo a prevenção é nossa maior aliada!

fernanda papa

 

Deixe um Comentário

2

20 fevereiro, 2014
Por Katia Ouang

 

hipotermia

 

Hoje queria falar sobre um assunto que acontece com uma certa frequência com crianças pequenas, a hipotermia.

Eu passei por uma angustia e aflição que não gosto nem de lembrar no dia que a Manu teve uma queda brusca de temperatura após tomar uma antitérmico quando estava com febre. Era madrugada e como de costume , fui medir a temperatura. E então o termômetro de mercúrio( que ainda acho o melhor de todos)  não saiu do lugar. Achei estranho acreditando que era mais um que estava quebrado. Testei em mim e marcou normalmente.

Coloquei novamente na Manu e nada.

Então peguei o termômetro digital e que marcou 33,9 graus.

Até então não fiquei nervosa pois nem imaginava que alguém poderia ter essa temperatura. Medi de novo e a mesma coisa. Ela estava ok, não tremia e até estava quentinha. Como era madrugada, antes de ligar para a peditara fui ao Google ver o que era essa temperatura tão baixa . Aí entrei em pânico!

Liguei para a pediatra que pediu para imediatamente eu colocar em um banho quente, dar um liquido quente e mantê-la super aquecida até a temperatura começar a subir. E como demorou para chegar aos 35 graus! Que ainda estava longe de estar normal.

Eu sempre peco pelo excesso, corro para o hospital em qualquer situação de alerta. Mas no caso da hipotermia, era importante aquecê-la primeiro do que sair correndo de madrugada, no frio, podendo piorar ainda mais o quadro. Algo que eu não tinha a mínima noção.

Lembrando disso, achei  interessante e importante passar para vocês o texto da querida Fernanda Papa de Campos da Nantu Consultoria,  que a partir de hoje será presença constante no blog com seus textos super informativos. Vamos tratar de assuntos como hipotermia, afogamento, engasgos, queimaduras,machucados, enfim, tudo que envolve o tema Primeiros Socorros, algo que a Fernanda é especialista e tem uma enorme experiência.

Vale a pena ler e imprimir para ter em casa e saber o que fazer para ajudar em algumas situações,  e também para informar as babás ou qualquer pessoa que ajude a cuidar dos nossos filhos.

Eu sei que é difícil, mas manter a calma em situações de apuros sempre ajuda a solucionar o problema melhor.  Ter uma noção básica do que fazer, pode muitas vezes salvar a vida de uma criança.

Por isso se informar ou fazer cursos de primeiros socorros nunca é demais!!!

 

_____________________

Algumas mamães se mostraram muito preocupadas com a tal da hipotermia, logo resolvi trazer um pouco mais sobre o assunto para todas nós.

A hipotermia é uma perigosa queda na temperatura do corpo, que pode ocorrer por diversos fatores: exposição excessiva a temperaturas frias, uso de alguns tipos de medicamentos, traumatismos, diabetes e outros.

Começamos a considerar hipotermia, temperaturas abaixo de 35° C.

A criança com hipotermia geralmente começa a apresentar tremores, respiração mais superficial, fica mais lentificada podendo ter sua memória comprometida, cansada, o pulso fica mais fraco e o coração tende a bater mais rápido.

Outro sinal importante é que os pés e as mãos ficam gelados, atenção!

Se deixar evoluir esse quadro, a coisa pode ficar bem mais perigosa. A criança poderá entrar no que chamamos de hiportemia moderada ou grave – uma emergência para ser tratada em hospital !!!

Quais são os primeiros socorros que podemos fazer em casa para hipotermia?

– Verificação constante da temperatura – não esqueça de deixar o termômetro por 5 minutos na axila da criança!

– Para melhorar rapidamente a temperatura da criança, encoste ela no corpo de um adulto, pois o calor do adulto passará facilmente para a criança. Técnica infalível!

– Aqueça bem a criança, principalmente as extremidades: pés, mãos e nunca esqueça da cabeça, pois 20% do calor é perdido através da cabeça. Atenção!

– Não descubra a criança para dar banho, use o banho quentinho se a criança estiver molhada de “xixi” ou chuva, aí sim aproveite para dar um bom banho quentinho de banheira e rapidamente aquece-la com roupas e cobertores.

– Se a criança estiver “espertinha” ofereça um líquido quente (leite, chá), cuidado para não queimá-la!!! Não ofereça nada se a criança estiver confusa e muito “molinha”, pois ela pode se engasgar. E NUNCA ofereça bebida alcoólica, é MITO, não aquece e deprime o Sistema Nervoso Central.

– Pode ser usada a bolsa térmica ou de água quente, mas com MUITO CUIDADO para evitar queimaduras. A criança pode abraçar a bolsa, pode ser colocada nos pés da criança, na barriga dela, virilha … JAMAIS deixar a criança deitar em cima da bolsa, pois o calor aumenta e pode gerar queimadura.

– Orientamos para pessoas menos favorecidas, mas que surte muito efeito e deixarei como dica aqui também a usar jornal para enrolar a criança, pois o jornal aquece rapidamente a pessoa e evita a perda de calor.

– O pediatra de sua confiança deve ser acionado quando você, mamãe, descobre a hipotermia, para que ele possa conduzir o caso.

– Se a criança não for aquecendo, não espere! Leve para um Pronto Socorro, pois no hospital existem outros procedimentos a serem realizados para que a temperatura não venha a cair mais. Como sempre alerto: peque pelo excesso!

Chamo atenção também para o uso indiscriminado de descongestionantes nasais e oculares que por vezes nos parecem inofencivos, assim como alguns anti alérgicos e outros que usamos de forma corriqueira para medicar nossos filhos SEM consultar os pediatras, afinal mães são “PHD em medicina”, não é mesmo?

Pois bem, esses podem causar o que chamamos de hipotermia falsa, ou seja, a temperatura não abaixa por alguns dias e de uma hora para outra simplesmente “despenca”, mas antes as crianças costumam apresentar sinais como sudorese (aumento do suor) e bradicardia (pulso mais baixo). Atenção!

Se ocorrer, a conduta é levar para o pronto socorro e contar TODOS os medicamentos e dosagens que foram dados para a criança nos últimos dias, não tenha medo, pois são informações necessárias para salvar seu filho.

Todo pimpolho fica dodói, é fato!!! Cuidado quando for medicá-lo … esteja segura que o pediatra realmente indicou aquele medicamento, fique atenta na dosagem, pois os piores casos de hipotermia são causados por uso inadequado de medicamentos!!!

fernanda papa

Comentários 4

10

5 dezembro, 2013
Por Katia Ouang

IMG_1832

 

Essa semana estou completando os primeiros 3 meses do programa 9Fit que já contei em detalhes nesse post como funciona.

Hoje , depois desse período, não consigo nem descrever o bem enorme que me fez. Depois de muito tempo parada, posso dizer que agora voltei a me orgulhar um pouco da minha determinação. Digo isso pois não fazer atividade fisica alguma me incomodava muito. E eu só via o tempo passar e não tinha força para começar. Ou melhor, recomeçar, já que apesar de 4 anos parada, antes da Bruna eu me exercitava bastante!

O melhor além de ter reintroduzido o exercício na minha rotina, é que hoje eu sinto  necessidade dele para o meu bem estar. E acreditem, dia que estou super estressada ou mesmo cansada e desanimada, eu vou para a esteira ou bicileta e me sinto muito melhor. E só quem tem criança pequena em casa sabe como é difícil conseguir manter uma disciplina passando noites em claro ou sempre com algum probleminha delas para resolver.

E se uma “dika” de amiga vale; mamães pós parto, não tenham preguiça em começar a se exercitar após seu médico liberar da quarentena. Isso vai ajudar muito com questões como baby blues, desânimo, preguiça de tirar o pijama e vai dar mais pique , energia e saúde para cuidar do bebê. Eu me arrependi muito de não ter começado antes. E outro ponto importante; você não perderá seu leite ou sua produção não vai diminuir se você fizer com moderação e orientação. Ninguém vai suar 1h na esteira e sim caminhar um pouco, fazer musculação, alongamento, pilates, enfim. O que faz perder o leite é o suor excessivo que acaba consumindo a agua que iria para a amamentação.

Eu estou sim em busca de recuperar o meu corpo, mas sei que nunca será o mesmo, ainda mais tendo 2 gestações seguidas e não tendo mais um corpinho de 20 anos. Eu “herdei” algumas coisas da gravidez que estou aprendendo a conviver. Como sou muito pequena e as meninas nasceram enormes, não há corpo que aguente não? Eu tive uma aderência de  musculatura na parte abaixo do umbigo e que deixou minha barriga bem estranha, se eu engordo 1kg , eu engordo acima do umbigo, fica bem esquisito. Isso para mim mexeu muito com a auto estima, mesmo porque sempre tive barriga linda e chapada antes das meninas. Além disso meu umbigo saiu para fora, outra coisa que me incomoda demais e fiquei totalmente quadrada, sem cintura. Mas ok, isso é uma questão comigo mesma que sempre fui super perfeccionista.

Tenho aprendido a lidar com  isso e descobri que com o exercicio consigo melhorar muito. Fortalecendo a musculatura e mantendo o peso consigo deixar a barriga bonita. Nunca mais vai voltar a ser o que era, mas se eu conseguir melhorar já é bem positivo!

Desde que comecei o programa da 9fit estou super feliz com cada evolução que vejo não apenas nos exercicios que faço ( que como ja contei sou super limitada por causa da coluna), mas também com a musculatura do meu corpo que começou a aparecer muito rápido. E isso nós adoramos, não!?

Ontem foi dia de tirar as medidas e vejam que bacana o resultado após 3 meses de treino.

2013-11-267

Ganhei um pouco de peso, ganhei musculatura e perdi gordura. Fui de 25% para 21% !

Estou super feliz pois esse foi só o inicio do programa!

Vou mostrar um  pouco do que faço nas aula para animar quem nunca se exercitou e contar os benefícios de alguns exercícios para o corpo pós parto. Os exercicios a primeira vista parecem super simples, mas dão um resultado que vocês não imaginam. Por isso nada de puxar ferro, levantar peso, ou usar aparelho. Você terá o mesmo resultado só com os exercicios funcionais e boa vontade.

 

 

Elevação do quadril:

2013-11-264 2013-11-265

Carinhosamente chamado por nós de backtothefuture, este exercício ajuda a reposicionar os órgãos, já que na gravidez eles se comprimem para acomodar o bebê no útero da mãe. Também é excelente para aliviar dores nas costas, pois promove uma descompressão da coluna. Trabalha glúteos, coxas e região lombar.
• Deitada, pernas flexionadas, pressione os pés contra o chão e eleve o quadril e o abdome lentamente, como se estivesse tirando vértebra por vértebra do chão. Mantenha glúteos e abdome contraídos e sustente a posição por 10 segundos. Desça e repita o movimento 10 vezes.
• Conforme for evoluindo, pode-se fazer este mesmo exercício com o apoio dos pés na bola. Fica mais difícil e trabalha mais o posterior da coxa.
• Realizado no primeiro mês de treinamento

 

 

• Tirar apoio das pernas na bola:

2013-11-19

Deitada com as pernas sobre a bola. Tirar as pernas no apoio e trazer os joelhos na direção do peito, sem tirar o quadril do chão e sem flexionar as pernas para baixo, e voltar a posição inicial. Para que a bola não escape, coloque um peso no chão atrás dela. Fazer entre 10 e 15 repetições. Trabalha parte inferior do abdome, uma das principais queixas das mulheres no pós parto.
• Realizado no primeiro mês

 

 

• Prancha no banco:

2013-11-195

Joelhos apoiados no chão e antebraços no banco. Tire o apoio dos joelhos e mantenha a postura reta, sem elevar o bumbum, contraindo glúteos e abdome. Sustente por 15 segundos e retorne. Faça esse movimento 10 vezes. Esse exercício ajuda a reaproximar as fibras musculares distendidas na gravidez, melhora a postura, alivia dores. Trabalha os músculos abdominais e paravertebrais, que quando fortes ajudam a melhorar a dor nas costas, especialmente a forma mais comum que é causada por lesão de tecidos moles ou musculares. Ótimo para melhorar a flacidez da barriga.
• Realizado a partir do segundo mês de treinamento

 

• Subida no banco: 2013-11-197

Um pé sobre o banco e as costas bem eretas. Subir até estender a perna de cima e descer controlando a descida e a pisada. Fazer 10 ou 12 repetições. Este exercício trabalha principalmente os glúteos máximos e os quadríceps. Excelente para empinar o bumbum.
• Realizado no final do segundo mês

 

Elevação unilateral com pé bola:

2013-11-266 Com um pé apoiado na bola e o outro projetado para o alto, eleve o quadril tirando as costas do apoio do chão. Mantenha glúteos e abdome contraídos e retorne até encostar o quadril no chão novamente. Faça 3 séries de 12 repetições para cada lado. Neste exercício a bola promove uma instabilidade, e exatamente por isso exige a mobilização de vários músculos do corpo para manter a posição e o equilíbrio, como abdome, costas, pernas e glúteos. Excelente para posterior de coxa e para desenvolvimento da consciência corporal.
• Realizado a partir do terceiro mês de treinamento.

E mais alguns trechos da aula:

2013-11-263 2013-11-262 2013-11-261

 

Estou aos poucos cumprindo as metas do programa Super Mommy que me propus no meio do ano. Estou tratando a pele dos melasmas da gravidez, estou me cuidando mais e fazendo exercicios. Só ainda não etsou satifesita coma  minha alimentação que sei que é uma das coisas mais importantes para o bem estar.

Mas esse é o proximo passo.

Meu lema hoje como mãe é; um passo de cada vez!

Quem quiser o contato da 9Fit: http://www.9fit.com.br/historia.htm

A minha personal é a Lívia Cruz.

Agora nas férias a 9Fit criou um Programa Express de treino com valor especial para quem quiser dar um start e começar o ano com o corpo em forma.

Eu não preciso nem dizer o quanto recomendo!

 

E vocês mamães, já conseguiram retomar as atividades físicas depois dos pequenos????

 

Comentários 5

3

25 setembro, 2013
Por Katia Ouang

9fit

Antes da Bruna nascer eu me cuidava muito. Comia super bem, fazia Pilates, academia e tinha uma vida bem saudável. Como eu engravidei da Manu assim que a Bruna fez 1 ano, acabei desistindo de fazer qualquer atividade física não apenas por falta de tempo e sim falta de vontade! Eu vivia com preguiça, sem pique e sem estímulo algum para começar. Além disso não estava nada satisfeita com o meu corpo depois de 2 gestações seguidas. E pelo fato de eu estar super magra, acabava sempre postergando a minha volta a ginástica.  Porém estar magra está bem longe de estar bem e contente com o que eu via no espelho.

Essa falta de exercício físico estava me prejudicando muito no dia a dia. Além de estar fraca, com imunidade baixa e pegar todas as viroses das meninas, carregar duas crianças no colo e ter todos os problemas que tenho na coluna estava me matando de dor. E quem tem filhos sabe o quanto é complicado quando a mãe fica limitada, seja por estar com uma gripe, seja por estar travada das costas. Não é fácil.

Então como já contei aqui , o Projeto Super Mommy envolve uma mudança total de hábitos e com apenas 1 objetivo; o meu bem estar. Seja físico, mental e também de beleza, porque não ?

Eu estava meio perdida, sem saber por onde recomeçar. Desde que engravidei da Bruna eu parei com todos os exercicios, e voltar não seria apenas eu me inscrever em uma academia. Eu preciso de supervisão e orientação pois não posso fazer nada sozinha por causa da coluna.

Foi quando eu conheci a Camila Massita e a Livia Cruz, da 9Fit, um projeto de personal super bacana que visa recuperar as mamães pós parto. A Camila é mãe de dois filhos, engordou 25 quilos na segunda gestação e sentiu na pele as mudanças causadas pela gravidez, e já cansada dos exercícios convencionais e com resultados demorados, criou, junto com a Livia, um treinamento para voltar à forma que tinha antes. Os resultados logo começaram a aparecer, e a rotina deixou de ser cansativa pelas noites mal dormidas. Camila perdeu 30 quilos em pouco menos de 6 meses!

Foi então que elas criaram  um programa de 9 meses , dividos em etapas, e que qualquer mãe pós parto pode começar assim que o médico liberar. As sócias consultaram especialistas de diversas áreas para entender o que acontece com o corpo e a mente da mulher após a maternidade e se especializaram nesse assunto.

Tudo é feito com muito cuidado, desde  a preocupação com os exercicios certos para a mãe que esta amamentando não reduzir a produção, até todo o trabalho em cuidar da postura e fortalecer o corpo da maneira correta. Além de toda a orientação com nutricionista para fazer um trabalho conjunto e ter mais sucesso nos resultados. Sem exageros e com muita cautela.

Se eu soubesse disso antes, teria começado imediatamente após o nascimento da Manu. Pois o quanto antes a  mãe começar, mas fácil em retomar o corpo. Porém foram meses procurando alguém que eu me identificasse e sentisse vontade de voltar a me exercitar para valer.

O mais bacana desse Programa é que a cada mês inclui uma sessão de Coaching de Saúde e Bem Estar. Para quem não sabe,  o Coaching de saúde identifica em qual fase você está e te auxilia a encontrar o melhor caminho para mudar. Te ajuda a conectar os pontos entre quem você é e quem quer se tornar!!!!
O Coach não vai falar o que você deve ou não fazer, não vai julgar seu comportamento. O Coaching é um processo de aprendizagem que permite que as pessoas encontrem suas próprias respostas e alcancem excelentes resultados mesmo quando enfrentam grandes desafios. E posso garantir que ajuda muito! Eu não conhecia esse processo, e só de responder ao primeiro questionário, já me deu uma vontade enorme de começar a mudar os meus hábitos.

Eu estou fazendo as aulas 2x por semana  há 1 mês e posso dizer que tem sido muito bom. Principalmente porque me sinto muito mais disposta e até me incentivou a voltar a fazer exercícios aeróbicos, que também estou retomando aos poucos. E mesmo com todas as limitações que tenho na coluna, a Lívia preparou um treino que consigo trabalhar o corpo todo e sair suando da aula com sensação de “dever cumprido” e músculos trabalhando!

Para quem tem hábito de fazer exercício fisico diariamente, com certeza não entenderá esse post. Mas para as mães que como eu foram deixando de lado tudo que fosse relacionado ao nosso próprio bem estar por falta de tempo e também de estímulo, posso dizer que voltar a se cuidar um pouco faz muito bem.

Digo isso não apenas pelos benefícios dos exercícios , e sim pela necessidade de ter um momento do dia que seja só seu. Onde você consiga desconectar um pouco da rotina maluca da maternidade, do trabalho e das preocupações, e se cuidar um pouco. Isso foi o melhor para mim. Ter um momento só meu. Mesmo que sejam apenas 2 horas por semana. Eu nem lembrava mais o que era isso, e com certeza não quero mais abrir mão. E as meninas das meninas da 9FIT super entendem esse momento que nós mulheres precisamos ter depois que nascem os filhos.

Aos poucos vou mostrar toda minha evolução nas aulas, mudanças no corpo e tudo mais. Quem me acompanha no Instagram ( @blogminhasdikas) também sempre postarei novidades  das aulas e dos exercícios.

E quem quiser saber mais sobre esse trabalho da 9Fit totalmente voltado para mães, clique AQUI.

Semana que vem no Projeto Super Mommy  os meus cuidados para melhorar a pele e todas as manchas e melasmas que “herdei” das duas gestações.

Comentários 2

2

26 agosto, 2013
Por Katia Ouang

Quem me acompanha no Instagram sabe o quanto eu já publiquei idas da Manu à pediatra e ao Pronto Socorro.

Acho que há uns 5-6 meses eu não tenho paz aqui em casa.

É tosse, nariz escorrendo e o peito cheio de catarro 24 horas por dia. E o catarro que acumula, acaba propiciando a instalação de bactérias e aí só com antibiotico. Mas é uma dó pois a Manu com 1 ano já tomou 3x.

Foi então que comecei a conversar com algumas amigas que os filhos tinha a mesma coisa. Uma delas me disse que tirou o leite e então o seu filho praticamente não teve mais nada.

Conversei com a pediatra sobre essa possibilidade e foi praticamente descartada uma APLV (alergia a proteína do leite) pois a Manu não tinha outros sintomas que costumam se manifestar em crianças que tem essa alergia como vômito, diarréia, sangue nas fezes, problemas de pele, otite e amidalite com frequência, etc.

A real é que eu era totalmente leiga no assunto APLV e nem passava pela minha cabeça que isso poderia influenciar em problemas como o da Manu. Ainda mais porque eu tinha a Bruna como referência e ela nunca teve nada, mamou no peito o mesmo tempo, tomou as mesmas formulas e comeu a mesma comida.

Há algumas semanas a Manu piorou de novo, e então decidi que tiraria o leite por conta própria. Pois mal não faria. Ela tomava o Nan Pro 2 e já estava na hora de trocar por um  outro. Como naquele momento ( uma sexta feira as 11 da noite) só tinha uma amiga a recorrer que tinha um filho com o mesmo problema, ela me indicou o Nan Soy. Então comprei uma lata de Nan Soy e resolvi testar até a minha próxima consulta à pediatra, que seria na semana seguinte, e onde então poderíamos conversar melhor sobre esse assunto.

Por muita sorte a Manu aceitou super bem o novo leite e nem estranhou o sabor. Ficamos com o Nan Soy por exatos 6 dias até a próxima consulta . E coincidência ou não, a Manu estava visivelmente melhor. Ainda com um pouco de secreção e muco, mas nada demais.

Na consulta a pediatra também considerou uma possível APLV , já que ela havia apresentado uma melhora no quadro significativa. E então  me orientou sobre o leite certo para darmos nesse caso, e me disse que muita criança com alergia a leite de vaca, também apresentava alguma alergia a soja. Então que esse não era o leite ideal, pelo menos por agora.

Para poder comprovar a alergia a proteína do leite não podemos fazer o teste com o leite de soja, e sim formulas indicadas para isso. O teste consiste em 4 semanas com essas fórmulas especiais e sem comer absolutamente nada que contenha leite ou traços de leite. E então o leite de vaca é reintroduzido sob orientação e observaremos a reação do organismo da Manu. Se a secreção e muco voltarem, está comprovada a alergia. Se não voltar ótimo, ela melhorou por outros motivos, ou por uma mera coincidência, e poderá comer de tudo normalmente.

A curto prazo me deparei com 2 questões; a primeira é o valor absurdo dessas fórmulas especiais que teria que comprar para as 4 semanas de teste, mas que futuramente se comprovada a alergia por um especialista como gastro ou alergista, poderei tirar sem custo até a Manu ter dois anos.

Outra questão seria a alimentação; o que dar basicamente de “belisquinhos” para ela? Já que felizmente ela ainda não comia besteiras e ainda esta na papinha em pedaços começando a alimentação comum. Mas o polvilho, pão e biscoitinhos eram algo que ela sempre comia e adorava,claro que 1 ou 2 por dia, ou quando vamos em algum restaurante. Mas não queria tirar isso dela.

A questão das latas eu estou me virando como posso, comprei duas, recebi 3 de doação de quem não usa mais…. e assim vou me virar ate completar as 4 semanas. E se tiver que comprar mais algumas, ja fui informada de um numero de SAC onde conseguirei comprar ate 12 latas com desconto.

A questão dos belisquinhos, a minha nutricionista me passou algumas opções que não tenham nem traço de leite. Para quem não sabe, traço de leite é quando o alimento apesar de não conter leite em seus ingredientes, foi feito por uma maquina que produziu algum outro alimento com leite anteriormente, e que mesmo lavada, pode conter partículas de leite. Claro, a Manu não se enquadra nisso, pois o caso dela não é tao grave, mas existem bebês que se comerem algo que contenha traços de leite, já sofrem as consequências por dias. Porém para as 4 semanas de teste é necessário uma “limpeza” total de leite do organismo dela. Então agora, nada com traços de leite também.

Mantive os belisquinhos com essas opções abaixo que são alimentos sem contra indicação e que você pode dar para os 2 filhos comerem a mesma coisa. Só ressalto a importância de consultar o pediatra caso seu filho apresente outros tipos de alergias à alimentos. Outra coisa que a Manu comia e que tinha leite era o purê de batata ou mandioquinha. Para isso tem a BECEL original que também foi liberada para cozinhar e podemos usar um pouco da própria formula da criança para misturar e substituir o leite comum.

aplv __0002_Original_tcm95-304528

Durante esse curto período com a possibilidade da alergia da Manu  me informei um pouco mais, estou participando de alguns grupos e me familiarizando com o assunto. Algo que não fazia parte da minha vida até poucos dias atrás.

Eu já tinha levado a pneumo, alergista, e nada. Todos excelente profissionais em que confio muito.Tirei cobertor, tapete, cortina, bichinhos de pelúcia… E ela já toma Singulair, tomou antialergicos, e nada melhorava. Nesse período também conheci mães que leram muito sobre o assunto e disseram que o leite de vaca em excesso ( sim porque 3 a 4 mamadeiras por dia é bastante coisa) influencia sim na piora de alergias como rinite, bronquite e sinusites.

Esse assunto é muito complexo. Envolve desde casos simples como o da Manu, até casos bem complexos, onde a  alergia causa toda uma transformação de hábitos na família.

Hoje a Manu está há 3 semanas sem leite de vaca. 1 semana com leite de soja e 2 com a fórmula especial. Faltam 2 ainda para testarmos de novo o leite e então ter um diagnóstico mais certo.

Mas porque então eu fiz esse post antes de contar o resultado para vocês?

Porque eu queria dizer que, coincidência ou não, a Manu está há 3 semanas sem nada!!!

Está ótima, e vê-la respirando bem, sem estar congestionada e brincando, é o melhor de tudo para uma mãe. E eu estou outra pessoa. Pois só de dormir melhor (já que ela dorme melhor) e não ter que passar todo o estress de ver um filho ruim, muda nossa vida.

Vejo o quanto várias crianças vivem nesse ciclo de rinite, sinusite, bronquite, tosse e toda semana vão em médicos, tomam remédios….Isso desgasta a criança e a mãe.  E como a APLV é pouco considerada em quadros apenas de muco no nariz e garganta,  as vezes se passam meses com diversos tratamentos quando apenas uma troca de leite resolveria.

Então vá pelo instinto de mãe, se seu filho vive nesse ciclo como a Manu vivia e não melhora, você já testou de tudo , remédios, tratamentos e nada, considere a possibilidade de uma APLV e converse com o pediatra para fazer um teste, pois mal não faz.

E vamos aguardar os resultados da reintrodução de leite na alimentação da Manu para ver o que acontece e então eu conto para vocês.

Agora hoje eu gostaria de saber, alguma mãe aqui com filhos com o caso parecido com o da Manu e que curou com a mudança de leite?

 

Comentários 58

5