28 maio, 2014
Por Katia Ouang

O leite é um alimento de muita importância na vida dos nossos filhos.

Além da importância na alimentação, o leite tem todo um significado para a criança; a hora de tomar o leite está sempre associada a um momento que eles amam e que é só deles!

E cabe a nós, mães, escolher um leite de qualidade que traga nutrientes importantes para  suaalimentação. Afinal, o leite fará parte da rotina das crianças durante um bom tempo.

A escolha aqui em casa foi o Leite Ninho. Um leite de qualidade e que as meninas adoram!

Tenho total confiança no que o Ninho oferece, ainda mais depois de saber que todo o carinho e cuidado que temos com os nossos filhos é o mesmo que existe com a produção do leite. Desde os profissionais que cuidam da alimentação e saúde das vacas, até um controle super rigoroso na extração do leite. Só o leite de alta qualidade chega às nossas casas.

E é isso que nós, mães, esperamos quando oferecemos um alimento aos nossos filhos.

E vocês, mamães, sabem o que tem no leite do seu filho?

 

O MINISTÉRIO DA SAÚDE INFORMA: O ALEITAMENTO MATERNO EVITA INFECÇÕES E ALERGIAS E É RECOMENDADO ATÉ OS 2 (DOIS) ANOS DE IDADE OU MAIS

Comentários 4

1

30 outubro, 2013
Por Katia Ouang

leite

 

As latas dessa foto foram todas as fórmulas que já passaram aqui em casa. Então hoje eu queria passar uma diquinha rápida de como fazer a transição de um leite para o outro e que funciona super bem.

Quando a Bruna fez 1 ano e tive que trocar o Nan para o Ninho, ela não aceitou bem. Mesmo o Ninho sendo um leite bem gostoso ela estranhou o sabor e rejeitou na hora.

Tentei outras vezes sem sucesso e então tive que manter o Nan. A solução então foi fazer essa transição sem pressa, para que ela não sentisse a diferença. Para isso é muito simples, se você dava 5 ou 6 colheres do leite basta trocar uma delas pelo leite novo e misture junto. No dia seguinte troque 2 colheres, e assim por diante até ficar só o leite novo. Então durante uns 5 dias você vai dar os 2 leites misturados.

Até aí tudo bem. Mas a questão que isso realmente ajudou aqui em casa foi por causa da Manu. Imaginem que ela já trocou de leite 5x. E da primeira vez foi do Nan para o Pregomin que dizem ser a pior troca, o sabor do Pregomin é horrivel. Já me alertaram que ela com certeza teria dificuldade em aceitar. Me sugeriram colocar gotinhas de baunilha, bater com fruta….mas como tudo eu detesto ficar refém de mais um trabalho. Imagina ter que bater leite com banana em todas as mamadeiras? e se não tiver banana em casa?

É claro que na primeira tentativa não deu certo. Só o cheiro desse leite já é ruim para nós sentir, imagine para a criança tomar. E mesmo tendo que tirar o Nan para testar a alergia, paciência. Mantive mais uns 5 dias até eliminar completamente. E deu certo ir misturando aos poucos, ela nem sentiu. Depois disso ainda trocou mais 3 x de leite, e sempre fiz esse processo e nunca tive dificuldade em adaptar um novo sabor. E ainda estamos na busca do leite ideal para ela!

Fica a ” dika ” de hoje!  Trocando o leite sem traumas!

 

Comentários 8

3

26 agosto, 2013
Por Katia Ouang

Quem me acompanha no Instagram sabe o quanto eu já publiquei idas da Manu à pediatra e ao Pronto Socorro.

Acho que há uns 5-6 meses eu não tenho paz aqui em casa.

É tosse, nariz escorrendo e o peito cheio de catarro 24 horas por dia. E o catarro que acumula, acaba propiciando a instalação de bactérias e aí só com antibiotico. Mas é uma dó pois a Manu com 1 ano já tomou 3x.

Foi então que comecei a conversar com algumas amigas que os filhos tinha a mesma coisa. Uma delas me disse que tirou o leite e então o seu filho praticamente não teve mais nada.

Conversei com a pediatra sobre essa possibilidade e foi praticamente descartada uma APLV (alergia a proteína do leite) pois a Manu não tinha outros sintomas que costumam se manifestar em crianças que tem essa alergia como vômito, diarréia, sangue nas fezes, problemas de pele, otite e amidalite com frequência, etc.

A real é que eu era totalmente leiga no assunto APLV e nem passava pela minha cabeça que isso poderia influenciar em problemas como o da Manu. Ainda mais porque eu tinha a Bruna como referência e ela nunca teve nada, mamou no peito o mesmo tempo, tomou as mesmas formulas e comeu a mesma comida.

Há algumas semanas a Manu piorou de novo, e então decidi que tiraria o leite por conta própria. Pois mal não faria. Ela tomava o Nan Pro 2 e já estava na hora de trocar por um  outro. Como naquele momento ( uma sexta feira as 11 da noite) só tinha uma amiga a recorrer que tinha um filho com o mesmo problema, ela me indicou o Nan Soy. Então comprei uma lata de Nan Soy e resolvi testar até a minha próxima consulta à pediatra, que seria na semana seguinte, e onde então poderíamos conversar melhor sobre esse assunto.

Por muita sorte a Manu aceitou super bem o novo leite e nem estranhou o sabor. Ficamos com o Nan Soy por exatos 6 dias até a próxima consulta . E coincidência ou não, a Manu estava visivelmente melhor. Ainda com um pouco de secreção e muco, mas nada demais.

Na consulta a pediatra também considerou uma possível APLV , já que ela havia apresentado uma melhora no quadro significativa. E então  me orientou sobre o leite certo para darmos nesse caso, e me disse que muita criança com alergia a leite de vaca, também apresentava alguma alergia a soja. Então que esse não era o leite ideal, pelo menos por agora.

Para poder comprovar a alergia a proteína do leite não podemos fazer o teste com o leite de soja, e sim formulas indicadas para isso. O teste consiste em 4 semanas com essas fórmulas especiais e sem comer absolutamente nada que contenha leite ou traços de leite. E então o leite de vaca é reintroduzido sob orientação e observaremos a reação do organismo da Manu. Se a secreção e muco voltarem, está comprovada a alergia. Se não voltar ótimo, ela melhorou por outros motivos, ou por uma mera coincidência, e poderá comer de tudo normalmente.

A curto prazo me deparei com 2 questões; a primeira é o valor absurdo dessas fórmulas especiais que teria que comprar para as 4 semanas de teste, mas que futuramente se comprovada a alergia por um especialista como gastro ou alergista, poderei tirar sem custo até a Manu ter dois anos.

Outra questão seria a alimentação; o que dar basicamente de “belisquinhos” para ela? Já que felizmente ela ainda não comia besteiras e ainda esta na papinha em pedaços começando a alimentação comum. Mas o polvilho, pão e biscoitinhos eram algo que ela sempre comia e adorava,claro que 1 ou 2 por dia, ou quando vamos em algum restaurante. Mas não queria tirar isso dela.

A questão das latas eu estou me virando como posso, comprei duas, recebi 3 de doação de quem não usa mais…. e assim vou me virar ate completar as 4 semanas. E se tiver que comprar mais algumas, ja fui informada de um numero de SAC onde conseguirei comprar ate 12 latas com desconto.

A questão dos belisquinhos, a minha nutricionista me passou algumas opções que não tenham nem traço de leite. Para quem não sabe, traço de leite é quando o alimento apesar de não conter leite em seus ingredientes, foi feito por uma maquina que produziu algum outro alimento com leite anteriormente, e que mesmo lavada, pode conter partículas de leite. Claro, a Manu não se enquadra nisso, pois o caso dela não é tao grave, mas existem bebês que se comerem algo que contenha traços de leite, já sofrem as consequências por dias. Porém para as 4 semanas de teste é necessário uma “limpeza” total de leite do organismo dela. Então agora, nada com traços de leite também.

Mantive os belisquinhos com essas opções abaixo que são alimentos sem contra indicação e que você pode dar para os 2 filhos comerem a mesma coisa. Só ressalto a importância de consultar o pediatra caso seu filho apresente outros tipos de alergias à alimentos. Outra coisa que a Manu comia e que tinha leite era o purê de batata ou mandioquinha. Para isso tem a BECEL original que também foi liberada para cozinhar e podemos usar um pouco da própria formula da criança para misturar e substituir o leite comum.

aplv __0002_Original_tcm95-304528

Durante esse curto período com a possibilidade da alergia da Manu  me informei um pouco mais, estou participando de alguns grupos e me familiarizando com o assunto. Algo que não fazia parte da minha vida até poucos dias atrás.

Eu já tinha levado a pneumo, alergista, e nada. Todos excelente profissionais em que confio muito.Tirei cobertor, tapete, cortina, bichinhos de pelúcia… E ela já toma Singulair, tomou antialergicos, e nada melhorava. Nesse período também conheci mães que leram muito sobre o assunto e disseram que o leite de vaca em excesso ( sim porque 3 a 4 mamadeiras por dia é bastante coisa) influencia sim na piora de alergias como rinite, bronquite e sinusites.

Esse assunto é muito complexo. Envolve desde casos simples como o da Manu, até casos bem complexos, onde a  alergia causa toda uma transformação de hábitos na família.

Hoje a Manu está há 3 semanas sem leite de vaca. 1 semana com leite de soja e 2 com a fórmula especial. Faltam 2 ainda para testarmos de novo o leite e então ter um diagnóstico mais certo.

Mas porque então eu fiz esse post antes de contar o resultado para vocês?

Porque eu queria dizer que, coincidência ou não, a Manu está há 3 semanas sem nada!!!

Está ótima, e vê-la respirando bem, sem estar congestionada e brincando, é o melhor de tudo para uma mãe. E eu estou outra pessoa. Pois só de dormir melhor (já que ela dorme melhor) e não ter que passar todo o estress de ver um filho ruim, muda nossa vida.

Vejo o quanto várias crianças vivem nesse ciclo de rinite, sinusite, bronquite, tosse e toda semana vão em médicos, tomam remédios….Isso desgasta a criança e a mãe.  E como a APLV é pouco considerada em quadros apenas de muco no nariz e garganta,  as vezes se passam meses com diversos tratamentos quando apenas uma troca de leite resolveria.

Então vá pelo instinto de mãe, se seu filho vive nesse ciclo como a Manu vivia e não melhora, você já testou de tudo , remédios, tratamentos e nada, considere a possibilidade de uma APLV e converse com o pediatra para fazer um teste, pois mal não faz.

E vamos aguardar os resultados da reintrodução de leite na alimentação da Manu para ver o que acontece e então eu conto para vocês.

Agora hoje eu gostaria de saber, alguma mãe aqui com filhos com o caso parecido com o da Manu e que curou com a mudança de leite?

 

Comentários 58

5