9 novembro, 2015
Por Katia Ouang

Falei que não apareceria com tanta frequência esse final de ano mas já estava morrendo de saudades de fazer um post novo. E como disse, são só mais uns dias de correria até o natal para depois eu poder voltar com força total aos meus textos, algo que tanto amo.

Hoje decide por um ponto final na série de posts sobre cama compartilhada. Provavelmente não falarei mais sobre isso até que um novo panorama apareça , e que provavelmente será elas quando elas não quererem mais dormir comigo. E para ser sincera, não tenho a mínima idéia de quando isso vai acontecer.

Foram meses, ou melhor, 2 anos, tentando fazer elas dormirem em seu próprio quarto. Me empenhei, me dediquei, me desafiei a conseguir tal tarefa. Mas desisti. E dessa vez sem culpas.

Foi um ano extremamente difícil. Talvez o mais difícil da minha vida por causa da minha separação.Tive que literalmente me transformar em mulher maravilha para segurar a onda e dar conta de tudo, quando em muitos momentos só queria sentar em um canto e chorar.

Coisas que antes eu dava uma importância extrema, ficaram muito pequenas perto da situação que eu estava, ou melhor, estou vivendo.

Me preocupar em fazer minha filhas não virem para a minha cama ? Será que vale a pena o stress? Afinal de contas elas também tem seus medos, também tem suas carências e também sofreram muito com a separação.

Acordar sei lá quantas vezes por noite para levá-las de volta , cada hora uma, será melhor do que dormir sem interrupções e poder descansar um pouco?

Juro que não sei o que é melhor ou pior. Só sei que relaxei e entendi que mais da metade das crianças nessa idade vão para a cama dos pais e um dia vão voltar para o seu quarto por livre e espontânea vontade.

E não só desisti de deixar elas virem como também desisti de começar a noite colocando elas em suas camas. Elas já dormem direto na minha! Era quase meia hora no quarto delas esperando para elas dormirem contra 5 minutos no meu quarto!

Sim, muitas noites não durmo bem pois a Manu ainda se vira muito, se joga, chuta. Só que a Bruna também fazia isso e agora dorme no mesmo lugar a noite toda e eu nem percebo. Nada que mais uns meses não resolvam.

Quando se tem dois filhos, ou mais, temos que ser práticas. Não dá para ter tudo perfeito da maneira como imaginávamos quando somos uma só para por ordem na casa.

Decidi priorizar o que de fato é importante nessa fase da minha vida. Cama compartilhada, tirar a chupeta da Manu, tirar a fralda noturna…?! Nada disso tem a mínima importância quando para mim o que pesa hoje é prestar muita atenção em como andam as cabecinha delas. O que nós mães esquecemos é que conforme as crianças crescem elas também tem pesadelos, medo de uma sombra, de um barulho estranho, ou de qualquer coisa que elas imaginam ou mesmo viram na televisão.

A Bruna é mais intensa, poe para fora, chora, fica de mau humor. Mas a Manu é muito fechada, e crianças assim muitas vezes demonstram um sofrimento das maneiras mais inusitadas possíveis. Meu foco hoje é antes de qualquer coisa, recuperá-las desse ano tão difícil e poder trazer segurança além de muito amor. Amor esse que não falta dos dois lados, Graças a Deus.

Quero utilizar o pouco tempo livre que tenho para me divertir , para ensinar algo, para brincar, passear… E também para manter minha paz e meu equilíbrio. Eu também preciso descansar, eu também canso de passar as noites levantando ou dando bronca. Se elas se sentem felizes ao meu lado, se sentem a proteção que precisam nessa fase, então que seja assim.

Por isso hoje consigo afirmar ; SIM, minhas filhas dormem na minha cama. E eu AMO isso!

Não canso de olhar quando elas dormem, amo deitar e segurar em cada uma das mãozinhas delas ( eu durmo no meio) e saber que de alguma maneira, elas se sentem protegidas ao meu lado.

Quando uma delas olha para mim e diz, Mamãe, estou com medo, você está escutando o passo do monstro?! Eu simplesmente amo poder abraçá-las e dizer; Filha, não tem monstro algum, pode dormir tranquila… E elas pegam na minha mão e fecham os olhos.

Sinceramente, vou sentir o dia que uma delas se virar e dizer; Mamãe, quero dormir no meu quarto!

 

Vamos começar a semana!

 

Quero que alguma mãe me conte quando o filho deixou de dormir com vocês!

Comentários 7

15

29 junho, 2015
Por Katia Ouang

Assim como o terrible two, acredito que os posts sobre o sono das meninas sempre aparecerão por aqui . Pois como vivo dizendo, criança é uma caixinha de surpresas que de um dia para o outro muda radicalmente.

Há tempos que vocês acompanham essa minha sina em fazer com que ela durmam em sua própria cama e não venham mais para o meu quarto de madrugada. O ultimo post em abril, falava da minha alegria em ter conseguido depois de meses ,fazer a Bru dormir a noite toda no seu quarto.

Desde então, meu objetivo 1 era fazer a Manuela dormir a noite toda na sua cama e não vir mais para a minha e 2, conseguir colocar as duas ao mesmo tempo para dormir.

Não quero contar como consegui ter êxito nesses meus dois objetivos pois a real é que voltei a estaca zero agora. Passei uns 2 meses muito feliz em ter colocado “ordem na casa” , e mais uma vez voltei para trás e praticamente zerei todo o meu esforço e dedicação.

Tudo culpa dos dias que a Manu ficou doente há 1 mês, e que teve febre por 5 dias direto, lembram? Durante esses dias eu simplesmente não podia cogitar dormir longe dela. Pois neurótica que sou, passo a noite toda medindo a temperatura. Dormimos as 3 juntas por 4 noites na casa dos meus pais e então perguntem o que aconteceu depois? Quem disse que elas queriam voltar a dormir sozinhas?

Me empenhei mais uma vez em retomar nossa rotina. E rapidamente consegui fazer com que elas voltassem a dormir cada uma na sua caminha. O problema é que elas vem todas as noites para minha cama. TODAS! E cada uma no seu horário.

Juro que tentei por dias levá-las de volta. Levantei quantas vezes fossem necessário sabendo que uma hora daria certo. Mas 1 mês se passou, eu praticamente não dormi, e elas continuam vindo.

Sinceramente eu não aguentava mais pingar as madrugadas, comecei a ficar exausta por dormir mal, mau humorada… e então resolvi que não ia mais fazer nada. Querem vir, que venham.

Percebi que dessa maneira eu conseguia dormir um pouco mais. Pois na minha cama elas dormem a noite toda e ainda passam um pouco das 7 da manhã, algo que nunca acontece no quarto delas. Muitas noites nem vejo elas entrando na minha cama e com isso consegui descansar melhor. E claro, quem não ama dormir agarrada com os filhos. Ainda mais eu nessa fase que estou sozinha com elas.

Tudo que eu não queria é que elas dependessem da minha presença para dormir bem. Mas sei que isso é super comum nessa idade e logo mais elas não vão querer mais vir.

Ok, fui levando esses dias de cama compartilhada sem culpa e sem nenhum plano de leva-las de volta de novo. Pois sinceramente, dormir qualquer minuto a mais, é hoje prioridade para mim.

Coloquei as duas direto na minha cama pois todo domingo o que quero é que elas durmam o quanto antes para eu poder tomar um banho e relaxar um pouco.

Lá por 2 da manhã a Manu tossiu tanto que engasgou e vomitou na cama toda. Em mim, na Bruna, nos travesseiros… Minha vontade era de chorar de desânimo… Não sabia nem por onde começar a limpar tudo. Principalmente porque meu colchão é king e estava sem forro. Podem imaginar o perrengue? Dei banho na Manu, coloquei ela na sua cama, fiz dormir ( levou 40 minutos), troquei meu pijama, levei a Bruna dormindo para a cama dela, troquei ela. Tirei todo o meu lençol, as fronhas, limpei o colchão com vinagre, coloquei outra roupa de cama… E quando eu volto a dormir, a Manu aparece, vomita a 1 cm da cama…. lá vou eu limpar o chão, trocar o pijama dela… Resumo da madrugada; dormi das 5 as 6.30 e hoje estou cheia de trabalho e com a cabeça fritando.

E então depois dessa noite deliciosa, voltei a pensar sobre cada um dormir na sua cama. Tenho que facilitar minha vida sim,  mas não posso esquecer de momentos como esse que se a Manu estivesse na sua cama, era 1 só uma mini cama  para trocar e colocar de volta.

Começo assim a semana e como sempre, torcendo por uma noite inteira de sono!!!

beijos

*K*

Comentários 14

9

26 janeiro, 2015
Por Katia Ouang

nunu

Pensei que me livraria desse post até pelo menos a Manu completar uns 3 anos. Mas esse momento chegou antes do que eu imaginava, e veio com força total !

Desde o dia que a Bruna saiu do berço ( com 3 anos), minha paz noturna terminou. De uma criança que dormia 13 horas por noite com porta fechada e luz apagada e ainda 2 horinhas depois do almoço, virou uma criança que cada dia dorme em um lugar, seja na sua cama, na minha, no sofá da sala… enfim, mas que sempre termina com sua vinda para minha cama no meio da madrugada.

Passei meses insistentemente, vocês acompanharam aqui, tentando reorganizar o sono dela, até que me rendi ao comodismo de simplesmente compartilhar a cama. Já que nesse caso não me atrapalha em nada, não tem estress, e ainda faz com que ela durma mais e melhor.

A Manu seguia muito bem pelo mesmo caminho. Dava um trabalhinho ou outro para dormir a tarde, mas a noite sempre foi porta fechada, luz apagada e dormindo sozinha por 12 horas.

Até que na última quinta feira não quis mais dormir a tarde. E não só não quis, como chorava de uma maneira que nunca vi para tirá-la do berço. Não forcei e esse dia ela não tirou sua soneca. Mas dormiu normalmente a noite já que estava super cansada.

Na sexta o episódio da tarde se repetiu. O choro era diferente, de medo, de agonia. Diferente de birra e manha que depois de um tempo ela desiste e dorme. Definitivamente, não dava para deixá-la no berço. E olha que sou uma mãe mas radical nesse sentido e sempre deixei chorar com moderação.

Entendi que ela simplesmente não queria mais esse sono da tarde por algum medo ou simplesmente porque cresceu e quer brincar.

Só que na hora de dormir o escândalo da tarde se repetiu com força total. Mesmo morrendo de sono ela gritava dizendo não querer dormir.  E aí pela primeira vez pulou o berço e caiu com tudo no chão. Graças a Deus, só um roxinho no cotovelo e uns minutos de choro.

Depois que eu a acalmei disse; Manu você quer dormir na cama? A mamãe coloca a grade e você dorme lá pode ser? E ela disse que sim. Arrumei a cama que tem no quarto dela, coloquei uma gradinha , seus bichinhos e chupetas e a acomodei.

Na tentativa de sair do quarto e deixa-la sozinha, como sempre fiz, o escândalo voltou. Me pediu para ficar, para esperar ela dormir. E lá fiquei eu por mais de 1 hora.

Deixei a porta semi aberta pois não saberia se ela iria estranhar a cama ou qual seria sua reação durante a noite.

E então as 3 da manhã ela começou a chamar por mim chorando. Fui até la, disse que ela precisava dormir, e esperei no pé da cama ela pegar no sono. E então quando eu me levanto para voltar ao meu quarto, começa o choro de novo. Foi uma gritaria só, dizendo que não queria ficar lá sozinha, e então saiu correndo e subiu na minha cama.

Eu exausta coloquei ela ao contrário, pois já somos 3 apertados na cama, e agora com a Manu, alguém teria que sair. Meu Deus, vou ter que comprar uma cama com 1 metro a mais!

E então ela dormiu até as 7 da manhã.

No sábado nem tentei colocar ela para o sono da tarde e propus para a Bru e Manu se elas queriam dormir juntas. A Manu deixou claro que não queria mais o berço dela. Sim, ela disse que eu poderia dar para outra criança! Mas me pediu o berço portátil que fica guardado debaixo da cama. Falou; Mamãe, quero dormir nesse bercinho no quarto da Bruna!

Pedido feito e cumprido! Montei o berço no quarto da Bruna, coloquei as duas para dormirem na mesma hora e fiquei sentada na cadeira esperando as duas dormirem. E e elas dormiram!

Tudo ótimo até que as 4 da manhã a Bruna veio para a minha cama, e as 5 a Manu começou a gritar querendo vir também.

Domingo o processo todo se repetiu.

A Manu mal cabe no bercinho, mas por enquanto se é lá que ela quer dormir, vou deixar.

E hoje estou eu aqui como um zumbi e com a cabeça fritando em como vou contornar essa situação. Não tenho condições de dividir a cama com as duas. Mas também não acho justo que a Bruna venha a mais de um ano dormir comigo, e a Manu não possa.

A solução sim é cortar as duas. Mas estou sem saber como fazer. Pois já tentei de todas as maneiras levar a Bruna de volta para sua cama, mas elas sempre volta. E muitas vezes eu mesma nem vejo ela entrando na minha cama.

O tempo passa muito rápido. Parece que ontem estava ensinando as duas a entrarem em uma rotina. E me orgulho de ter sido super rígida nos primeiros anos delas para que tivessem um sono tranquilo e continuo.

Eu achava um desafio colocar um bebê na rotina. Agora alguém me diz como colocar uma criança, ou melhor , duas, dormindo a noite toda no seu quarto sem que levantem e venham para o meu? Dentro do berço é fácil, mas a partir do momento que elas podem abrir a porta, podem acender a luz, descer da cama e andar sozinhas, é muito mais complicado.

Estou ainda pensando em como achar uma bonificação para a que dormir no quarto a noite toda, ou mesmo criar um ambiente diferente para elas, um quartinho novo, não sei…

Por isso eu começo a semana perguntando… Alguém conseguiu “descompartilhar” a cama?

Beijos e Boa Semana!

*K*

Comentários 23

3