5 abril, 2010
Por Katia Ouang

Muita gente se perde um pouco na hora de preparar um roteiro para esta parte da Itália, Mas é possível sim visitar este trecho em 2 dias indo de maio a setembro quando os dias são mais longos. O ideal é alugar um carro assim que chegar a Napoli e de lá já partir direto para a Costa. Eu não gostei de Napoli e acho que não vale a pena incluir no roteiro. A cidade é suja, barulhenta e desorganizada, passar muito tempo lá acaba tirando todo o charme que essa região da Itália tem.
É incrível como a poucos quilometros de Napoli você está em um dos lugares mais lindos e de paisagem impressionante. Dirigir nessa estrada, que é considerada uma das mais bonitas do mundo, é um desafio. Mas dá uma sensação de liberdade incrível. Quem dirige não consegue curtir o visual de tão fechadas que são as curvas, então vale a pena revezar um pouco. Mas a vantagem é que há varios pontos de mirantes ou cantos onde dá para estacionar o carro para descer , tirar uma foto e curtir o visual.
O principal atrativo dessa região é Ravello e Positano. Reserve pelo menos metade do dia para cada cidade para dar tempo de conhecer o centro e comer em algum lugar gostoso.
Em Ravello sente em um dos restaurantes da praça central para curtir a paz e o silêncio e não deixe de comer a deliciosa salada caprese. A muzzarella é de derreter na boca. Para almoçar, tem vários hotéis com restaurante com uma vista de tirar o folego. Vale a pena escolher pelo menu o que mais atrai e sentar com calma para curtir um local mais do que romântico.
Em Positano tem o tradicional Buca di Baco que fica quase na praia e que tem uma comida divina. O carpaccio com lascas de grana padano e molho balsâmico é maravilhoso. Para jantar e com uma vista incrível, recomendo o Next 2 que tem ambiente mais moderno e é todo aberto.
Extra Tips:
– Melhor época para ir : primeira quinzena de junho ou de setembro. Os dias são longos, quentes mas fora das férias dos Europeus. É quase impossível circular por essas estradas em alta estação e muito menos achar lugares para estacionar.
– Se você não estiver hospedado em Positano, é possível estacionar o carro um pouco antes da entrada para o centro. Por lá existem 2 ou 3 estacionamentos. Se não for isso, é bem difícil conseguir parar na rua.
– Não deixe de parar em todos os mirantes que encontrar por este trecho de estrada, cada um tem uma vista mais linda que o outro.
– Usar sapato baixo e bem confortável. Quase todas as cidadezinhas da Costa são de paralelepípedo e com escadas para todos os lados.
-Passear pelas lojinhas de Positano onde o produto típico são as batas e rasteirinhas e visitar a loja onde todos os produtos são feitos com o limão siciliano. O cheirinho da loja é incrível.
– Compre no Aeroporto na Itália a Revista -Guia da região da Costa. Sempre tem dicas de lugares que nem imaginamos como restaurantes e beach clubs que só aparecem em algumas estações. Como na Costa são poucas as praias, existem Beach Clubs incríveis onde você pode passar o dia com estrutura de restaurante e vestiários.
– Dica de hotel bom e barato na Costa, clique AQUI
– Se tiver um tempinho a mais, não deixe de visitar Nerano, clique AQUI para saber mais.
E se for a Capri, clique AQUI
Comentários 4

0

20 outubro, 2009
Por Katia Ouang
Capri é uma pequena ilha localizada na baía de Napoles, na Italia. A ilha tem aproximadamente 10Km² de area, portanto é possível conhecer todos os principais pontos em uma viagem de 2 a 3 dias. Para chegar em Capri é possivel pegar um barco em algumas das principais cidades da Costa Amalfitana como  Napoli, Positano e Sorrento. Através do link: http://www.capri.net/en/ship-timetable é possivel checar os horários e preços do barco. Recomendo fazer o trajeto durante o dia pois a chegada pelo mar esverdeado e a vista dos enormes Faraglioni valem a pena.
Para quem curte, a minha dica é alugar uma scooter pois é a melhor maneira de se locomover na ilha sem gastar muito. Um passeio bacana é ir de scooter até Anacapri curtindo o visual de cada mirante no caminho. Nós arriscamos subir no teleférico ( que sobe absurdamente alto) e não nos arrependemos. Apesar de ser um programa meio turista, a vista de lá de cima é de tirar o folego e propicia fotos incríveis ( como esta à esquerda). Na volta siga as indicações para a gruta azul e ao final do caminho você vai encontrar um lugar chamado Club Nettuno, que fica bem em cima da entrada da gruta e voce pode almoçar em cima do mar. Vá ao restaurante Trident pois o club é uma mistrura de pool, fitness,  bar e restaurante. O risotto al limone é maravilhoso.
A principal atração da ilha é a famosa Gruta Azul. Dezenas de barcos turísticos fazem o passeio para quem quer conhecer. Recomendo alugar um barquinho só para você e as pessoas que estiverem viajando junto, pois não sai caro e você foge daqueles programas de turista, além de poder parar para dar um mergulho. O gozzo é o famoso barco a motor de Capri. Custa aproximadamente 150 Euros o barco por 2 horas de passeio. Peça ao barqueiro para dar a volta na ilha e mostrar não só a gruta azul, como a branca e a verde que são as mais bonitas. No trajeto de volta desça no Beach Club La Fontelina. É um restaurante com uma área para tomar sol bem em frente aos Faraglioni. Você pode alugar cadeiras e guarda-sol e passar um dia maravilhoso curtindo um visual incrível e ainda terminar com um almoço  típico caprese. Peça a sangria. A jarra é enorme e vem cheia de frutas, uma delícia. O restaurante possui um barco que te leva de volta a Marina onde voce pode tomar um táxi.
Para jantar o Da Paolino é uma das melhores opções da Ilha. Principalmente pelo ambiente que é super agradavel e fica embaixo de uma plantação de limões enorme ( foto do teto do restaurante ao lado). O cheirinho é uma delicia e tem vários pratos com esse ingrediente. O restaurante é cheio de gente bonita e o Lemoncello típico da Ilha é cortesia da casa !! O melhor; considerando estar em uma das ilhas mais badaladas da Europa, o restaurante tem um custo benefício excelente. Não conheço quem tenha ido e não tenha amado!

Para quem curte comida italiana, o Da Gemma é imperdível. Fica em uma travessinha bem escondida que sai da Piazzeta no centro, é uma típica cantina caprese, daquelas com presunto e provolone pendurados no teto. Mas a comida é irresistivel. O prato de queijos de entrada e o tradicional spaghetti à bolognhesa  foi o melhor que já comi na viagem.

Plus : Comprar uma rasteirinha com pedras, tomar um bellini no terraço do hotel Quississana, passear pelas lojas da Via Camerelle, tomar um sorvete italiano na Piazzeta, andar nos taxis conversíveis da Ilha, tirar uma foto do pôr do sol.

Fotos Arquivo Pessoal
Comentários 6

0

3 setembro, 2009
Por Katia Ouang

Cascais é uma pequena cidade que fica a apenas 1/2 hora de Lisboa. Além do centrinho super charmoso e das ruas pequenas com lojas e restaurantes, fica também em Cascais a famosa Boca do Inferno, que é uma paisagem linda que pode ser vista através da estrada e de mirantes.

É incrível a erosão que o mar causou nas falésias criando grutas e buracos enormes. ( foto abaixo – vista da Boca pela estrada )
Nessa mesma estrada da Boca , acabamos descobrindo um lugar muito charmoso que se chama Casa da Guia. É um complexo de lojinhas e restaurantes , em cima de uma falésia, com uma vista maravilhosa para o mar. Tem restaurantes para todos os gostos, mas nós optamos pelo “Prazeres da Carne” http://www.prazeresdacarne.com/  principalmente pela area de mesas externa onde a vista é deslumbrante. Você pode almoçar praticamente em cima do mar. ( foto abaixo – geral do terraço)
Vale a pena esperar por uma mesa no  terraço caso só exista na parte interna. A comida é muito boa e o camarão com  molho de manga é um daqueles pratos que não vou esquecer tão cedo.
E para quem gosta de uma caipiroska e não consegue achar pela Europa, este é o lugar. A famosa Ananoska , ou caipiroska de ananas,o abacaxi deles, é muito boa e não deixa nada a desejar. ( á direita, Ananoska e a vista da mesa)
Deixe um Comentário

0